Quarta-feira, 14 de Abril de 2021
PROTESTO

Família de jovem morto em intervenção policial protesta no bairro Compensa

Manifestantes queimaram pneus revoltados com a morte de Guilherme da Silva, que tinha 18 anos, morto em decorrência de ferimentos provocados por um tiro no tórax durante abordagem policial



0821627d-2023-4dce-b495-451b5caab79f_2FE03BDA-0424-4392-878F-ED9400C26D0A.jpg Foto: Junio Matos
06/04/2021 às 13:18

Moradores da Compensa, bairro situado na Zona Oeste de Manaus, fizeram protesto contra a morte de Guilherme da Silva Protázio, 18, que morreu em decorrência de ferimentos provocados por um tiro no tórax sofrido durante abordagem policial feita à área. Os manifestantes queimaram pneus e alegaram injustiça referente à ação. 

De acordo com o comandante do Comando de Policiamento de Área (CPA), tenente-coronel Leandro Benevides, não houve ação irregular por parte da polícia. “A polícia atuou conforme o previsto. Havia cidadãos suspeitos com arma de fogo e outro com simulacro, esboçaram reação e a equipe agiu dentro da legalidade”, afirmou. 




Protesto teve queima de pneus em via pública. Foto: Divulgação

A mãe de Guilherme, Cínthia da Silva Protázio, 33, afirmou à equipe de reportagem que o jovem estava sentado, quando a equipe policial foi à localidade. “Meu filho é jogador de futebol. Eles deviam chegar abordando, não atirando. Não teve troca de tiros. Só um atirou, que foi o que matou meu filho”, disse.


Familiares de Guilherme velaram o corpo do jovem hoje. Foto: Junio Matos

Segundo Cínthia, Guilherme tinha o sonho de ser jogador de futebol. A mãe afirmou, ainda, que o jovem não tinha passagem pela polícia. Conforme o Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), não há registros de antecedentes criminais no nome da vítima.  Ainda conforme o Ciops, Guilherme foi atingido com um tiro no tórax. 

O tenente-coronel Benevides disse, ainda, que denúncias são feitas pelos moradores, referentes a populares portando armas de fogo em via pública. “A polícia está fazendo o trabalho dela. Essa situação era até previsível, porque eles estão andando armados, inclusive utilizando crianças como escudo. Eu já me deparei com uma situação dessas”, disse. 


Protesto foi controlado e agentes do Corpo de Bombeiros apagaram o fogo nos pneus. Foto: Junio Matos

Segundo relatório do Ciops, a Polícia Militar do Amazonas (PMAM) havia sido acionada por meio de denúncia anônima, às 17h28 de domingo (4), segundo a qual havia populares portando armas no beco São João.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.