Publicidade
Manaus Hoje
MORTE NO PETRÓPOLIS

Familiares de homem supostamente morto por PM protestam por justiça

O soldado Ângelo Rodrigues, acusado pelos parentes de ter matado Anderson Farias no domingo (17), dever ser apresentar quarta-feira (20) à Polícia Civil, segundo a ACS 19/07/2016 às 19:59
Kelly Melo Manaus (AM)

Familiares e vizinhos do ex-presidiário Anderson Farias da Silva, 23, o Loirinho, morto no último domingo (17), no bairro Petrópolis, na Zona Sul, realizaram um protesto em frente ao 3º Distrito Integrado de Polícia (DIP) para cobrar a prisão do policial militar Ângelo Rodrigues Coelho, que é o principal suspeito de ter cometido o crime. O ato foi realizado na tarde desta terça-feira (19).

Com cartazes nas mãos e gritando “justiça”, eles se aglomeraram em frente ao DIP por pouco mais de 30 minutos. “Eu quero que a justiça seja feita porque esse caso não pode ficar impune”, disse a mãe de Anderson, a pastora Marisa da Costa Balieiro, 47.

Apesar do apelo para que o caso não fique impune, somente na manhã desta terça-feira (19) a família da vítima oficializou a denúncia contra o policial. Isso não havia sido feito antes porque eles ainda estavam providenciando o velório e o enterro de Ângelo.

De acordo com o delegado titular do 3º DIP, Willian Hitotuzi, os familiares foram ouvidos e reafirmaram o envolvimento do PM no homicídio de Anderson.

Hitotuzi também afirmou que a Associação de Cabos e Soldados (ACS) se comprometeu em encaminhar o suspeito nesta quarta-feira (20) à delegacia para prestar a sua versão sobre o fato. “Isso é importante para que possamos interrogá-lo  e qualificá-lo como qualquer outra pessoa. Faz parte do procedimento e as investigações estão seguindo normalmente”, explicou o delegado.

Publicidade
Publicidade