Publicidade
Manaus Hoje
INTERIOR DO AM

‘Fujão’ de Coari é recapturado pela Polícia Militar após realizar vários crimes

Delegado titular do município, José Barradas Júnior, informou que nos cinco dias que ficou foragido, Luiz Fernando Vieira de Lima realizou aproximadamente oito assaltos e estuprou pelo menos uma mulher 11/06/2018 às 19:12 - Atualizado em 11/06/2018 às 19:53
Show luizinho
Foto: Divulgação
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Depois de cinco dias foragido, Luiz Fernando Vieira de Lima, o “Luizinho da Liberdade”, 20, foi recapturado por policiais militares na manhã de segunda-feira (11), em Coari, no interior do Amazonas. Nesse período, ele praticou aproximadamente oito assaltos e estuprou pelo menos uma mulher, conforme a Polícia Civil.

No dia 5 deste mês, “Luizinho da Liberdade” aproveitou o descuido de um investigador e, mesmo algemado, conseguiu correr, entrar em um matagal e desaparecer. Ele possui ao menos 30 denúncias, por diversos crimes como tentativa de homicídio, de estupro, roubos, porte ilegal de arma de fogo, lesão corporal, entre outros.

De acordo com o delegado titular, José Barradas Júnior, o criminoso foi localizado em uma casa, no bairro Liberdade, onde se mantinha escondido. Dentro do imóvel havia diversos objetos oriundos de roubos em residências. “A casa onde estava era de um comparsa, que o escondia”, ressaltou.

Segundo Barradas Júnior, a localização e prisão dele foram possíveis após denúncias anônimas. “Só nesse pequeno período que ele ficou solto, ele praticou pelo menos oito roubos, estuprou uma das vítimas, o cara é perigoso”, contou o delegado titular de Coari.

“Luizinho da Liberdade” foi conduzido para a delegacia e depois será encaminhado para o presídio do município, onde deve ficar à disposição da Justiça. Segundo o delegado Barradas Júnior, ele deve ficar preso preventivamente por conta do mandado de prisão expedido pela Comarca de Coari. “Eu solicitei o mandado por conta dos diversos crimes cometidos por ele. São ao menos 30 denúncias por vários delitos, então ele tem que ficar preso preventivamente”, finalizou o delegado.

Publicidade
Publicidade