Publicidade
Manaus Hoje
HORA EXTRA

Homem é agredido a pauladas e morre enforcado na empresa onde trabalhava

Crime ocorreu na noite de ontem, em uma fábrica no bairro Tancredo Neves; família diz que empresa demorou a comunicar a morte do funcionário 15/11/2017 às 17:25
Show clj jr5001
Railson foi velada na tarde desta quarta-feira (Foto: Jander Robson)
Danilo Alves Manaus

Uma hora após avisar à namorada que faria hora extra na fábrica onde trabalhava, o operador de máquinas Railson Severo de Sousa, de 23 anos, foi encontrado morto dentro da empresa, localizada no Bairro Tancredo Neves,  zona leste de Manaus.  O crime aconteceu na noite de terça-feira (15). 

A companheira de Railson, a auxiliar de cozinha Nilse dos Santos Bruno, 38, informou que o jovem saiu para trabalhar às 6h. Por volta das 17h da tarde o rapaz ligou para avisar que trabalharia algumas horas a mais, por isso  demoraria a voltar.

 “A última mensagem que ele mandou foi ás 19h, uma hora antes do crime. Ele perguntou se tudo estava bem e como as crianças passavam. Apesar do crime ter acontecido pouco tempo depois disso, eu só fui avisada da morte do Railson às 22h”, relatou.

De acordo com perícia preliminar do Departamento de Polícia Técnico-científica (DPTC), Railson foi agredido por pedaços de pau e enforcado com um fio ou corda. Em seguida o suspeito fugiu. O uniforme da vítima também não foi encontrado no local. O corpo de Railson foi encontrado pela gerente da empresa, após ela ter visto o rapaz caído no chão da fábrica, pelo circuito de segurança. 

A esposa do operador disse ainda que na empresa, que fabrica plástico, trabalham apenas dois homens, Railson e outro funcionário identificado apenas como Raimundo. Até o momento o suspeito está foragido. A família denunciou a falta de informações e assistência prestada pela empresa de Railson.

“Além de avisar que Railson estava morto só quando o corpo dele já estava no Instituto Médico Legal (IML), eles não informam pra gente se há informações de imagens ou qualquer pista que possa levar ao paradeiro do assassino”, contou. 
 

Publicidade
Publicidade