Domingo, 25 de Julho de 2021
MORTE

Homem é executado com tiros na cabeça por pistoleiros no Jorge Teixeira

Somente neste mês de fevereiro, foi o 12o homicídio ocorrido no bairro, a maior parte deles por conta do tráfico de drogas



WhatsApp_Image_2021-02-27_at_17.57.59_1D6FE4DB-8135-4193-95E8-E1BCF239F89D.jpeg (Foto: Josemar Antunes)
27/02/2021 às 18:11

Dhulio Lira da Silva, 25, foi executado com três disparos de arma de fogo na madrugada deste sábado (27), na casa onde morava, situada na rua Jambu, no bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste de Manaus. 

Segundo informações da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), Dhulio encontrava-se dormindo, quando foi chamado pelo nome por três homens, que efetuaram os disparos na cabeça à queima-roupa. 



Após o crime, os executores fugiram sem serem identificados em um carro Ford/Ka, de cor preta e placa não visualizada. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ainda foi acionado e constou a morte. 

A polícia informou que nenhum pertence da vítima foi levado, o que descarta o crime de latrocínio (roubo seguido de morte). Os familiares disseram à policia que desconhecem a motivação do assassinato. 

O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML). A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) vai investigar com o crime relacionado ao tráfico de drogas na região. 

Zona cada vez mais perigosa

Em 27 dias de fevereiro deste ano, já foram registrados doze assassinatos no bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste da capital amazonense. A maior parte destes crimes estão relacionados pelos conflitos entre facções criminosas, que disputam o tráfico de drogas no mercado ilegal.

Mesmo com o isolamento social por causa da pandemia do coronavírus, os pistoleiros do Comando Vermelho (CV), Família do Norte (FDN), Primeiro Comando da Capital (PCC) e Comando do Norte (CDN), a mais recente facção criminosa, estão agindo e derramando sangue pelas ruas da capital, levando medo para população.

Os crimes

Na terça-feira (2), Guilherme Costa Ferreba, 16, conhecido como “Harry”, foi executado com vários tiros na rua Parada Evangélica (antiga rua 13), na comunidade Monte Sião. Testemunhas relataram que a vítima foi perseguida por homens encapuzados. 

No sábado (6), Jefferson Rodrigues Barbosa, 26, que estava colostomizado, foi executado com três tiros no tórax dentro de casa na Rua Traíra. Segundo a polícia, o homem dividia o quarto com o cunhado, conhecido como “Velhinho”, então, alvo de três homens não identificados, que fugiram em seguida. 

“Velhinho” já tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas e porte ilegal e arma de fogo. Com ele, policiais miliares da Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam) apreendeu um revólver calibre 38, sendo o mesmo ainda, ligado a uma facção criminosa. 

Na manhã de quinta-feira (11), policiais militares da 30ª Cicom encontraram um corpo do sexo masculino decapitado, no km 5 do ramal do Brasileirinho. Com a vítima, um papelão escrito: “Morreu porque matou gente inocente”.

Na noite de quinta-feira (18), Djonatas Pereira dos Santos, 36, conhecido como “Jhon”, foi executado com seis disparos de arma de fogo, na Rua T, na comunidade Monte Sião. À polícia, testemunhas disseram que a vítima foi perseguida por homens ligados à facção criminosa. 

Na noite de sábado (20), Renan Melo de Oliveira, 23, foi alvejado com vários tiros na rua Eucalipto e morreu no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Dr. Platão Araújo.  

Segundo a polícia, Renan e um amigo foram surpreendidos por ocupantes de um carro Celta, de cor vermelha e placa não reconhecidas.  Os pistoleiros fugiram sem serem reconhecidos. 

Na mesma noite, o cabeleireiro Israel da Silva Ferreira, 29, foi executado com três tiros na cabeça e três no tórax. O crime aconteceu por volta das 19h em frente à casa onde morava, na avenida Tambaqui.

Segundo relatos de testemunhas, três homens em um carro, modelo Celta, de cor vermelha, se aproximaram e, em seguida, desceram e efetuaram os disparos contra o alvo, sendo três na cabeça, dois no peito e dois nas costas. A vítima já tinha sido presa por tráfico de drogas em 2009.

Já noite de domingo (21), Moisés Teixeira Brasil, 16, foi executado com 12 tiros em um escadão, na rua Baleia, próximo à rua Tambaqui. O adolescente ainda foi socorrido com vida por moradores até o HPS Dr. Platão Araújo. 

Aos policiais militares da 30ª Cicom, populares disseram que quatro homens em um carro Celta vermelho, com placa final 1919, efetuaram os disparos e depois fugiram sentido ignorado. 

Em continuidade aos ataques, Erik Moraes da Gama, 28, foi executado com cinco tiros na tarde desta terça-feira (23), na rua Jambú. Conforme testemunhas, os assassinos chegaram ocupando um carro Gol, de cor branca e placa não identificada. Na ocasião, Erik ainda tentou correr dos pistoleiros. 

Na noite seguinte (24), uma cabeça humana foi encontrada na rua Tereza Rosa, ao lado de um campo de futebol da comunidade Monte Sião, após ser jogada por ocupantes de um carro, de características não reconhecidas. 

Segundo a polícia, Geovane Ferreira de Souza, 19, foi morto com um tiro na cabeça e depois decapitado em uma área de mata. O corpo da vítima foi localizado no início da tarde sexta-feira (26), em um Igarapé na avenida Autaz Mirim, no bairro Novo Aleixo, na Zona Norte de Manaus. A vítima tinha envolvimento com o tráfico de drogas.

Outra morte violenta aconteceu no final da madrugada de quinta-feira (25). O gari Bruno Alves da Silva, 26, foi assassinado com quatro tiros na rua Santa Júlia, na comunidade Monte Sião, na divisa com o bairro Cidade de Deus, na Zona Norte. 

A vítima foi surpreendida por um grupo, ainda não identificado, quando seguia para o trabalho. Todos os assassinatos estão sendo investigados pela DEHS, cujo perfil dos envolvidos já foram identificados e são mantidos em sigilo para não atrapalhar as operações.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.