Sexta-feira, 03 de Abril de 2020
INVESTIGAÇÃO

Homem é preso suspeito de torturar e matar adolescente no Puraquequara

Segundo delegado, o grupo apontado de ter executado a vítima cometeu o crime porque acredita que a adolescente havia passado informações para uma facção rival



de__99A651EE-2C44-498C-9579-359998E37C21.jpg Equipe de autoridades policiais durante coletiva de imprensa sobre o caso. Foto: Jair Araújo
05/02/2020 às 11:50

Antônio Andrey da Silva e Souza, 19, conhecido como “Djeime”, foi preso por suspeita de participação no assassinato de uma adolescente de 14 anos. O homem, junto de outros quatro homens suspeitos de pertencerem a uma organização criminosa, é acusado de ter matado a vítima com um tiro na cabeça depois de torturá-la.

O suspeito foi preso na casa dele, localizada na rua 46, conjunto Mutirão, bairro Novo Aleixo, na Zona Norte da capital, na tarde de terça-feira (4).



O crime ocorreu no dia 21 de janeiro deste ano, quando um grupo invadiu a casa da adolescente, situada na rua Imbuia, antiga rua 45, conjunto Mutirão, bairro Novo Aleixo, Zona Norte da capital.

Segundo o delegado Luciano Calixto, titular do 27° Distrito Integrado de Polícia (DIP), os homens a colocaram em um carro roubado de modelo Ford Ka, cor vermelha.

Junto de quatro homens, “Djeime” levou a vítima até um local situado no bairro Puraquequara, Zona Leste, e a torturaram. Após a tortura, “Djeime” efetuou um disparo de arma de fogo que atingiu a cabeça da adolescente. Em seguida, o grupo a abandonou no lugar e fugiu.

A adolescente foi socorrida por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada a um hospital da capital.

O delegado Calixto informou que a polícia ainda está à procura dos outros quatro homens envolvidos no caso.

Motivação da barbárie

Conforme Calixto, os cinco infratores pertencem a uma organização criminosa e cometeram o crime porque acharam que a vítima havia passado informações do grupo a uma facção rival. “Confirmamos que a menina não havia delatado quaisquer informações, mas mesmo assim o grupo cometeu o crime”, disse.

As informações supostamente repassadas por ela eram referentes ao padrasto do atual namorado dela, que foi executado na madrugada do dia 21 de janeiro deste ano.

Na ocasião, William Lima de Castro, 37, foi morto dentro da casa dele, localizada na rua Inoa, conjunto Mutirão, bairro Novo Aleixo.

Antônio Andrey foi indiciado por tentativa de homicídio e será levado à audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch Reis, na Zona Sul da capital.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.