Domingo, 16 de Junho de 2019
PRISÃO

Homem que matou companheira com 20 facadas alega 'alucinação' por remédio

Assassino confesso disse que ele e Thaynara jogavam o game Rainbow 6 quando diz ter visto ela virar um monstro. Testemunhas dizem que não havia energia na hora do crime



WhatsApp_Image_2019-04-03_at_12.20.57_BA20E404-E3F1-4BBF-B968-508D94A95FE9.jpeg (Foto: Winnetou Almeida)
03/04/2019 às 13:18

O industriário Bruno Henrique da Silva, de 32 anos, preso na tarde de ontem (2), confessou o crime de feminicídio contra a companheira dele, a dona de casa Thaynara Barbosa da Silva, de 23 anos, assassinada com mais de 20 facadas pelo corpo em Manaus. Bruno afirmou em depoimento que desferiu os golpes após ter alucinação de que a vítima teria se transformado em um monstro.

Segundo o delegado Danilo Bacarim, titular do 10° Distrito Integrado de Polícia (DIP), o homem se entregou um dia após o assassinato, na presença de um advogado. O delegado afirmou que Bruno alegou fazer o uso do medicamento Rivotril há cerca de um mês, por problemas de ansiedade. O assassino confesso negou que o crime tenha sido motivado por ciúme.

Ele relatou que ele e Thaynara eram viciados em games e estavam, antes do crime, jogando Rainbow 6, quando ele teria olhado para a companheira e visto ela se transformando em um monstro. Ainda em depoimento, ele diz ter ficado em posse de uma faca e tentado “matar o monstro”. Após o crime, o homem fugiu. 

Uma testemunha ocular, funcionário de uma empresa responsável pelo fornecimento de energia na capital, afirmou que não havia energia no momento do crime. Ele afirmou ainda que chegou a ouvir os gritos da vítimas vindo da casa. Uma vizinha da vítima, que não quis ter o nome divulgado, disse que Thaynara gritava pelo nome de Bruno, dentro da casa, que estava no escuro. 

 A família da vítima esteve presente da delegacia onde o suspeito se entregou e pediu que o sistema judiciário aplicasse pena máxima a Bruno. "Quantas Thaynaras, Marias, precisarão morrer pra provar que a mão que bate, também é a mão que mata", questionava uma tia da vítima.

Bruno foi indiciado por feminicídio e será encaminhado para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), presídio localizado no Km 8 da rodovia BR-174, que liga Manaus a Boa Vista.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.