Publicidade
Manaus Hoje
PRISÃO

Homem que se passou por vendedor de salgados para roubar R$430 mil é preso

No dia do roubo, Antônio Pereira ficou a paisana em frente a agência, com uma bandeja de salgados, esperando o momento em que os funcionários chegariam pra depositar o dinheiro 17/08/2017 às 11:30 - Atualizado em 17/08/2017 às 11:39
Show preso
(Foto: Gilson Mello)
Jamille Santos Manaus (AM)

Antônio Davison Correia Pereira, 29 foi preso na noite  da última terça-feira  (15), por policiais civis  da Delegacia em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd),  após se passar  por vendedor  de salgados,  para roubar 430 mil de funcionários de uma empresa de calçados.

O crime ocorreu no dia 31 de julho em frente a uma agência bancária situada na Avenida Djalma Batista, Chapada, zona Centro-sul da cidade.

No dia do roubo, Antônio ficou a paisana em frente a agência, com uma bandeja de salgados, esperando o momento em que os funcionários chegariam pra depositar o dinheiro. Ele estava armado com um revólver calibre 38,  e após abordar os clientes, tomou a mochila onde estava o dinheiro.

Ele então fugiu em uma motocicleta com ajuda de um comparsa, que teve o nome preservado para não atrapalhar nas investigações, que o aguardava próximo dali.

A dupla deixou o local e foi em direção a Avenida Torquato Tapajós, onde um terceiro homem identificado como "Gordinho", aguardava para pegar o dinheiro.

De acordo com Daniel Leão, adjunto da Derfd, Antônio disse em depoimento que entregou todo o dinheiro à "Gordinho" e que somente no dia seguinte  teria recebido a sua parte no crime.  Das mãos de "Gordinho", Antônio recebeu 100 mil que foi dividido entre ele e o comparsa. 

Os 50 mil recebidos,  ele usou pra comprar um carro modelo Fiat Strada,  e usou o restante do dinheiro para pagar dívidas que fez dentro  da cadeia,  além  de fazer reformas na casa onde morava. Antônio tem passagens pelos crimes de tráfico de drogas, roubo majorado e posse de arma de fogo.  Ele foi preso em cumprimento de mandado de prisão preventiva por roubo majorado e ficará  a  disposição da Justiça.

Publicidade
Publicidade