Publicidade
Manaus Hoje
INTERIOR DO AM

Investigadores ainda não têm pistas de responsáveis por morte de cirurgiã-dentista

Alcivandra de Souza Almada, 35, retornava de uma festa de aniversário junto com uma amiga, quando um pedaço de madeira foi arremessado na direção da motocicleta. Ao cair, Alcivandra quebrou o pescoço 15/10/2018 às 18:47 - Atualizado em 16/10/2018 às 09:20
Show dentista f29e3b2e 61e0 4586 baa5 6105a5671833
Alcivandra de Souza Almada, 35. Foto: Divulgação
Fábio Oliveira Manaus (AM)

A Polícia Civil de Maués já iniciou as investigações sobre o latrocínio da dentista Alcivandra de Souza Almada, 35, que morreu, na tarde do último sábado (13), ao cair de sua motocicleta e quebrar o pescoço após assalto sofrido na estrada de Moraes. Ela retornava com uma amiga de um aniversário. Os suspeitos levaram apenas um aparelho celular.

No entanto, até o momento, os investigadores ainda não conseguiram identificar quantas pessoas participaram do crime e nem a identidade de cada um. De acordo com o capitão Laurênio Silva, comandante da 10ª Companhia Independente de Polícia Militar de Maués, dois ou três são os responsáveis pelo crime.

Segundo o comandante, a cirurgiã-dentista retornava de uma festa de aniversário junto com uma amiga, quando um pedaço de madeira foi arremessado na direção da motocicleta. A vítima teria perdido o controle da direção e caído ao chão. Em seguida os criminosos, que estavam escondidos na área de mata, furtaram o aparelho celular e deixaram a moto no local.

“Eles levaram apenas o celular da amiga porque o dela estava escondido nas roupas íntimas, eles ainda revistaram a vítima, mas não conseguiram achar o aparelho e foram embora, deixando até a moto”, relatou Silva, revelando que furtos de celulares são as ocorrências mais frequentes no município.

“A estrada onde ocorreu o crime é muito escura e é de barro, tem muito mato e os bandidos se esconderam. Aqui em Maués o maior índice de crimes é furto de celular. O criminoso pega e sai correndo, mas nós vamos nos empenhar para prender quem participou da morte dessa moça”, explicou o comandante.

Publicidade
Publicidade