Domingo, 16 de Maio de 2021
DOR FAMILIAR

Já vacinado contra a Covid-19, idoso morto a facadas passava por fase alegre na vida

‘Hoje levaria a primeira netinha para passar um dia com ele’, disse o filho do taxista José Geraldo de Souza, 61, esfaqueado até a morte durante uma caminhada, hoje, em Manaus



9884ecf2-fc7b-4203-a857-d7f06d3f6728_7DA01CF8-8BDD-4256-A4CD-805C1A9ED56C.jpg Foto: Junio Matos
25/03/2021 às 12:31

O taxista José Geraldo de Souza, 61, morto a facadas durante caminhada, estava à espera da segunda dose da vacina de COVID-19 e vivia uma fase alegre da vida, segundo declaração do filho da vítima, o engenheiro da computação José Geraldo Fernandes Rabelo, de 36 anos.

“Hoje era o dia em que eu levaria a primeira netinha dele para passar um dia com ele. Meu pai estava feliz e de bem com a vida”, disse Rabelo, que conversou com a equipe de reportagem enquanto realizava os procedimentos de identificação da vítima, no Instituto Médico Legal (IML), situado no bairro Cidade Nova, Zona Norte da capital, na manhã desta quinta-feira (25).



“Meu pai era um cara muito amigo de todo mundo. Tinha bastantes contatos na região, que foi mobilizada pelo que aconteceu. Ele era um homem muito querido e não tinha inimigos”, afirmou.


José Rabelo, filho da vítima, relata fase feliz em que o seu pai passava, antes de ser assassinado. Foto: Junio Matos

José morava com a esposa e duas filhas dele. Era ativo e gostava de jogar futebol e caminhar, conforme Rabelo. José havia se afastado do trabalho e passou a se ocupar com o ofício de taxista intermunicipal, entre Manaus e Novo Airão, município distante 115 quilômetros da capital.

“Ele era o provedor da casa. A mãe, que tinha por volta de 75 anos, faleceu há pouco”, relatou o filho da vítima.

A família de José, que deixou quatro filhos maiores de idade, está em choque com o que aconteceu, segundo Rabelo. “Estamos procurando ser raciocinais nesse momento de dor. Somos bastante cientes da nossa espiritualidade”, disse.

Entenda o caso

Rabelo acordou com a notícia da morte de José. Ele estava se preparando para ir ao trabalho. “Meu pai sempre levantava cedo para fazer as coisas. Ele levantou 5h30 e saiu 6h para caminhar”, disse.


Foto: Junio Matos

Segundo o delegado Fábio Silva, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), José foi atingido com uma facada no coração e nas costas após luta corporal com dois criminosos. Os assaltantes fugiram por meio de uma área de mata. A autoridade policial pede ajuda da população para que coopere com a polícia por meio de denúncias anônimas que podem ser feitas ao número 181.

Segundo Rabelo, o que deixará mais saudade do pai era a preocupação dele com a educação dos filhos. “Ele foi sempre muito crítico com relação ao aspecto político da sociedade”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.