Publicidade
Manaus Hoje
Motivo fútil

Júri condena a pena máxima o jardineiro que matou por dívida de R$ 100

Luís Otávio de Alencar recebeu 30 anos e seis meses de detenção. Além de matar mulher, ele também tentou matar a mãe da vítima, uma idosa de 68 anos à época 18/04/2016 às 17:47 - Atualizado em 18/04/2016 às 18:25
Show portal 15
O réu durante o julgamento (Foto: Gilson Mello/Freelancer)
Vinicius Leal e Joana Queiroz Manaus

O jardineiro Luís Otávio Sampaio de Alencar foi condenado em júri popular à pena máxima de prisão – 30 anos e seis meses – por ter assassinado a facadas uma mulher em 2013, em Manaus, motivado por uma dívida de R$ 100 que a vítima tinha com ele. A condenação ocorreu nesta segunda-feira (18).

Além de matar a mulher, o jardineiro ainda tentou matar a mãe dela, uma idosa de 68 anos à época. Ele foi condenado pelos crimes de homicídio qualificado e de tentativa de homicídio qualificado. O julgamento foi presidido pelo juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Anésio Pinheiro; a acusação estava com o promotor de Justiça Ednaldo Medeiros e a defesa com o advogado Eguinaldo Ramos.

Na tentativa de reduzir a pena da condenação, o advogado de defesa ainda tentou transformar o homicídio qualificado para simples e a tentativa de homicídio para lesão corporal. Porém, os jurados não se convenceram e os crimes tiveram a qualificadora “qualificado” por causa do motivo fútil: uma dívida de R$ 100.

O crime, conhecido como “crime da Maromba”, aconteceu no dia 28 de setembro de 2013 dentro da casa das vítimas, na rua da Maromba, bairro Chapada, na Zona Centro-Sul. O jardineiro entrou na casa e assassinou a três facadas a vítima, a administradora Michelle Monique Maciel Freire, 33 anos à época, e tentou matar a mãe dela, a aposentada Maria Aparecida Maciel Ferreira, 68, que foi atingida com uma facada na cabeça, mas sobreviveu.

O jardineiro prestava serviços para família e foi ao local cobrar a dívida de R$ 100. Após a falta do pagamento, o suspeito voltou a casa à tarde e discutiu com as mulheres. Durante a briga, ele teria resolvido cometer o crime. Michele foi encontrada no chão da cozinha e o suspeito chegou a trancar a porta da residência, obrigando a polícia a pular o muro para entrar.

Publicidade
Publicidade