Publicidade
Manaus Hoje
Ato obsceno

Lavador de carros é detido após mostrar pênis a estudante no bairro São Lázaro

A vítima, uma estudante de 19 anos, foi à delegacia denunciar o caso, pois não aguentava mais ser perseguida pelo suspeito 24/11/2016 às 08:49
Show p
Iran Cruz da Silva, 37, não tem noção do perigo toda vez que baixa as calças (Foto: Divulgação)
Fábio Oliveira

Por perseguir uma estudante de 19 anos, mostrar o pênis à ela e ainda se masturbar na sua frente, o lavador de carros Iran Cruz da Silva, 37, foi preso na manhã de ontem no bairro São Lázaro, na Zona Sul de Manaus.

De acordo com o cabo Antônio Cristiano, lotado na 7ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), a vítima, uma estudante de 19 anos, foi à delegacia denunciar o caso, pois não aguentava mais ser perseguida pelo suspeito.

Segundo o policial militar, na manhã de ontem, a vítima saía de casa quando viu que Iram a perseguida pelas ruas. “Ela conseguiu andar rápido, mas viu quando o suspeito mostrou seu órgão pra ela e ainda se masturbou”, disse.

“Não foi a primeira vez que isso aconteceu e, pelo menos, duas testemunhas - que moram no bairro - relataram ter visto o lavador de carros mostrando seu órgão genital para outras pessoas”, contou o PM.

“A vítima contou que teve uma vez que ela entrou no ônibus e depois ele entrou também e ainda encostou nela”, disse. A vítima contou na delegacia que o lavador sempre a perseguia quando ela saía de casa.

Em depoimento aos policiais militares, o lavador contou que só colocou o pênis para fora porque precisava mijar no meio da rua.

Segundo o delegado Rodrigo Barreto, titular da 1ª Seccional Sul, informou que vai investigar o caso e que o lavador de carros irá responder apenas por um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por ato obsceno.

“Eu vou procurar saber mais quem é essa pessoa, onde mora, o que faz, procurar testemunhas, mas ele não é um estuprador. Ele mostrou a parte íntima e isso é ato obsceno. Vou pedir para uma equipe policial ir a casa dele para ver o que está acontecendo e vamos liberá-lo porque é TCO”, disse.

O lavador de carros foi ouvido e, segundo o delegado, iria ser liberado para responder em liberdade pelo ato obsceno. O caso foi registrado no 7º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no São Lázaro.

 

Publicidade
Publicidade