Quarta-feira, 19 de Fevereiro de 2020
INVESTIGAÇÃO

Mais de 40 indiciados por linchamento de preso em Fonte Boa; 14 foram presos

Dos presos, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), nove atuaram diretamente na morte e incineração do corpo de um detento suspeito de estupro



content_WhatsApp_Image_2020-01-17_at_09.25.11_E12160A0-3989-45B5-B63D-7000D1F26D3F.jpeg Foto: Divulgação
27/01/2020 às 11:33

Mais de 40 pessoas envolvidas no ataque contra a 55ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), em Fonte Boa, município distante 676 quilômetros de Manaus, e suspeitos de linchar e esquartejar Ronald Gomes Borges, de 28 anos, foram identificadas e indiciadas pela Polícia Civil do Amazonas. No último fim de semana, foram cumpridos os mandados de prisão preventiva de 14 pessoas por participação na ocorrência. Nove atuaram diretamente na morte e incineração do corpo do detento, de acordo com a investigação liderada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM).

A força-tarefa da Polícia Civil, que investiga o ataque criminoso ocorrido no dia 17 de janeiro, tem o comando dos delegados Rodrigo Torres e José Afonso Barradas. O trabalho integrado envolve equipes do 3° Batalhão da Polícia Militar do Médio Solimões, além de policiais civis do Grupo Fera, e outros membros da Polícia Civil e Militar. 



Além de investigar a morte de Ronald, a polícia também procura os suspeitos de terem atirado contra Geuly Cavalcante, de 21 anos, que morreu em Manaus na sexta-feira (24) após complicações por conta da bala alojada no corpo. 

Presos

Dos transferidos, nove vieram para o sistema prisional, em Manaus, e cinco foram levados para a Unidade Prisional de Tefé. Outros seis indivíduos, já identificados por participação no crime, tiveram os mandados de prisão preventiva expedidos, mas são considerados foragidos da Justiça.

Até o momento, as investigações levantaram indícios da participação de 40 pessoas no ataque registrado à delegacia em Fonte Boa. Durante a invasão, o prédio do 55ª Departamento Integrado de Polícia (DIP) foi danificado e três viaturas policiais completamente destruídas.

Conforme o delegado Rodrigo Torres, todos os policiais que estavam no local, no dia do delito, foram ouvidos. Vídeos do crime foram utilizados para identificar os infratores. Torres destacou, ainda, que todos os 14 presos durante a ação policial possuem extensa ficha criminal, por delitos como homicídio, latrocínio, tráfico de drogas, roubo, lesão corporal grave, entre outros.

De acordo com o delegado José Afonso Barradas, os nove transferidos para Manaus são os que praticaram o homicídio e esquartejamento do preso, e os outros cinco tiveram participação na destruição do patrimônio público. Dentre as pessoas identificadas na participação no crime, há duas mulheres que foram presas.

Nove presos foram indiciados por homicídio qualificado, vilipêndio de cadáver, dano ao patrimônio público, associação criminosa e incitação ao crime. As outras cinco pessoas irão responder por associação criminosa, danos ao patrimônio público e incitação ao crime.

Policiais permanecem na cidade para reforçar a segurança, informou a SSP-AM. O Ministério Público do Amazonas designou o promotor Elarderson Lima, de Jutaí, município distante 120 quilômetros de Fonte Boa, para acompanhar as investigações.

Leia mais >>> Para especialistas, linchamento público é vingança mascarada de Justiça 

*Com informações da assessoria de imprensa da SSP-AM

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.