Domingo, 20 de Setembro de 2020
ALFÂNDEGA

Mais de R$ 100 mil em eletrônicos importados são retidos em transportadora

O local, na Zona Oeste de Manaus, foi alvo de operação da Alfândega do Porto de Manaus (Serep). Os produtos são provenientes da China e não possuem qualquer tipo de documentação



58bfb056-3ee6-41b3-86a5-708efae40e1f_6E050FE3-E4F8-467D-8627-603C89955984.jpg Foto: Divulgação
23/07/2020 às 10:49

Uma transportadora de carga aérea localizada na Zona Oeste de Manaus, foi alvo nesta manhã (23) de uma operação do Serviço de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho da Alfândega do Porto de Manaus (SEREP). O resultado foi a retenção de aproximadamente R$ 100 mil em produtos com suspeita de descaminho.

Durante operação de fiscalização, a equipe do SEREP localizou diversas cargas com produtos eletroeletrônicos estrangeiros que estavam desacompanhados de documentação legal que comprovasse sua importação ou venda.



Iluminadores de LED, cabos de rede, carregadores multifuncionais, fones de ouvido sem fio, caixas de som e alto falantes foram encontrados e retidos por não estarem, no momento da fiscalização, com as comprovações de suas regulares importações, ou seja, sem notas fiscais ou outros documentos fiscais idôneos.

O SEREP informou que as mercadorias, provenientes da China, estão retidas e, caso os responsáveis pelas mesmas apresentem documentação que ateste a legalidade da importação ou compra, serão liberadas.

Não ocorrendo a apresentação de nenhuma documentação, as mercadorias serão submetidas à pena de perdimento, conforme art. 689, inciso X, do Decreto nº 6.759/09.

A Alfandega do Porto de Manaus informa que as ações de fiscalização e controle aduaneiro que são realizadas têm por objetivo evitar a circulação, no território nacional, de produtos potencialmente nocivos à saúde e ao meio ambiente, e inibe a prática de crimes que geram desemprego, sonegação de impostos e concorrência desleal à indústria e ao comércio local.

A Receita Federal também alerta que muitos casos de contrabando e descaminho, considerados pela população como crimes “menores”, estão ligados ao crime organizado que atua nas fronteiras brasileiras. Essas organizações criminosas, que promovem tráfico internacional de drogas, armas e munições, utilizam-se do mercado ilegal de produtos como forma de financiamento para suas ações.

É importante que a população se conscientize de que o que pode parecer uma “pequena transgressão” traz grandes prejuízos ao país, contribuindo inclusive para a deterioração da segurança pública.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.