Domingo, 23 de Janeiro de 2022
DECISÃO

Major do Exército é condenado a 13 anos de prisão por matar e ocultar corpo de amante

Alessandra da Silva e Silva foi morta pelo major do Exército Nildo Gonçalves de Souza em São Cachoeira, no ano de 2012



show_sgcc_3EB1D3E3-8A6C-47E4-9E2E-6B7488B72B4E.jpg Foto: Divulgação
26/11/2021 às 15:33

O Ministério Público do Amazonas, pela Promotoria de Justiça de São Gabriel da Cachoeira, obteve, nesta quinta-feira, 25/11, a condenação de Nildo Gonçalves de Souza, major do Exército, acusado de matar e ocultar o corpo de Alessandra da Silva e Silva. 

O julgamento, que foi presidido pelo Juiz de Direito  Manoel Átila Araripe Autran Nunes, integrou a pauta de audiências da 19ª Semana Justiça Pela Paz em Casa, campanha nacional do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), cuja finalidade é ampliar a efetividade da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006). 



O crime foi cometido no dia 19/01/2012, dia do aniversário do condenado, que mantinha um relacionamento extraconjugal com a vítima. O Conselho de Sentença entendeu que o réu matou por motivo fútil e ocultou o cadáver da vítima, que continua desaparecido. 

No julgamento, após os debates, prevaleceu a tese sustentada pelo Ministério Público. O réu foi condenado a 13 anos de reclusão em regime fechado e à perda do cargo. A ré Gabriela de Souza da Silva foi absolvida, a pedido do Promotor de Justiça Roberto Nogueira, designado para o caso, por falta de provas de sua participação no crime.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.