Publicidade
Manaus Hoje
BALANÇO

Manaus Hoje faz 'resumão' da política brasileira nos últimos 30 dias

Brigas por cargos, políticos afastados, como a presidente Dilma Rousseff, e novas "trapalhadas" marcaram o cenário político em 2016. Confira os principais acontecimentos até agora: 11/06/2016 às 11:26 - Atualizado em 11/06/2016 às 11:47
Show dilma
Presidente Dilma Rousseff foi derrotada na Câmara e no Senado pela admissibilidade do impeachment (Foto: Reuters)
Dani Brito

E lá se vai um mês desde que Dilma foi afastada da presidência. Fizemos um balanço do que rolou no Brasil durante esses 30 dias, e convenhamos, são trapalhadas dignas de uma comédia-pastelão, com direito a pipoca e refrigerante para o respeitável público brasileiro.

E olha que o palhaço Tiririca, que foi eleito como um dos deputados mais votados do Brasil, parece até ficar sério entre o elenco deste circo armado.

São brigas por cargos, primeira-dama interina que “se diz advogada, ex-presidente dizendo que vai ter de comer marmitex com a companheira Dilma, deputado querendo sair do país em nome do companheirismo com a presidente, políticos afastados por corrupção e até policial federal preso.

Nos últimos dias o brasileiro teve que ter jogo de cintura e muita paciência para acompanhar as desventuras desses nossos representantes.

Com o dólar e inflação em alta e salário baixo, é rir para não chorar diante dos fatos.

Farinha do mesmo saco

O principal arquiteto do afastamento de Dilma, Eduardo Cunha, também foi afastado da presidência da Câmara. Acusado de corrupção e lavagem de dinheiro, ele teria recebido a merreca de R$ 5 milhões de propina em negociações da Petrobras. Sobrou até para esposa de Cunha, acusada de viajar para a Europa para fazer compras.

José Sarney, Romero Jucá, Renan Calheiros e Eduardo Cunha tiveram o pedido de prisão apresentados e estão com medo de ir para o xilindró, local para onde foram mandados Cerveró, Zé Dirceu e até o Japonês da Federal.

Jean Wyllys e Bolsonaro trocaram cusparadas, Romário ameaça virar a casaca e pedir a volta de Dilma, Aécio Neves também entrou na lista de investigados, e, no final deste espetáculo deprimente, o povo brasileiro entra sempre com o mesmo papel: o de palhaço.

Só tem artista

Lula – Viu sua sucessora deixar a presidência e resolveu lançar o programa Fome Zero para presidentes afastados, depois que Temer cortou a comida de Dilma. Lula disse que vai comer marmita com sua companheira.

Dilma – Saiu de fininho do cargo, reclamou que não tem mais avião para voar, nem comida de graça pra fazer suas refeições. Sem as viagens 0800, restou pedir um jatinho emprestado dos amigos do PT.

Eduardo Cunha – Foi afastado da presidência da Câmara dos Deputados, é investigado pela Lava Jato por receber cerca de U$$ 5 milhões em propina em negociações da Petrobras, jura que não tem conta lá fora, mas a mulher dele viajou pra gastar um milhão de dólares em bolsas e roupas de madame,

José Sarney – Com uma carreira política de 60 anos, o ex-presidente  teve um pedido de prisão pedido pelo STF por tentar atrapalhar as investigações da Lava Jato. Se for contemplado, ganhará uma tornozeleira para curtir a cana em casa.

Temer – Com um governo de trapalhadas, chegou anunciando uma equipe de ministros cheia de gente investigada pela Lava Jato, esqueceu das mulheres e dos negros, levou pau dos artistas por acabar com o Ministério da Cultura e ainda inventou que a esposa é advogada, mesmo sem carteira da OAB.

Quarteto Fantástico do PMDB – José Sarney, Renan Calheiros, Romero Jucá e Eduardo Cunha foram pegos de “surpresa” com um pedido de prisão feito pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot. Todos se disseram vítimas de perseguição, ao melhor estilo pai de família trabalhador.

Tiririca – Já que o assunto é palhaçada, ele não poderia faltar. Em entrevista ao programa do Jô Soares pediu para não falar de política, afinal de contas ele só entende mesmo é de piada, o que dá praticamente na mesma.

Japa da Federal – Facilitou o contrabando no Brasil e acabou no xilindró, onde passará quatro anos, dois meses e 21 dias vendo o sol nascer quadrado, sem direito a sushi.

Publicidade
Publicidade