Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2021
Decisão

Mulher que matou Luana Freire é condenada a 25 anos de prisão

Tais Rejane Barbosa Alves teria entrado no quarto da vítima com uma camisa cobrindo o rosto. Luana foi morta a facadas



show_luana_foto_123_78D9C541-CB1D-4560-8F48-8B95EB4391F0.jpg Foto: Divulgação
03/12/2020 às 06:16

O o conselho de sentença da 3ª Vara do Tribunal do Júri decidiu condenar Tais Rejane Barbosa Alves a 25 anos de prisão por ter matado a cunhada Luana Freire de Souza em em 2018. Thaís está presa desde a época do crime e o tempo que está reclusa será abatido no total da pena.

Taís foi julgada nesta quarta-feira, 02, e durou 12 horas. A Sessão de Julgamento popular foi realizada no Plenário principal do Fórum Ministro Henoch Reis e presidida pela juíza de direito Eline Paixão e Silva Gurgel do Amaral Pinto.



Na acusação atuou o promotor de justiça do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), José Felipe da Cunha Fish, com assistência do advogado Lenilson Ferreira Pereira. A ré teve em sua defesa os advogados Baltazar Soares de Oliveira e Litamara Brasil de Farias.

A Sessão de Julgamento começou às 10h15 com o depoimento das testemunhas de acusação. Foram ouvidas cinco pessoas indicadas pelo Ministério Público Estadual e mais duas testemunhas de defesa. Na sequência teve o interrogatório da ré Thaís Rejane Barbosa Alves, que terminou às 17h30. Os debates tiveram início às 18 horas, com 90 minutos para o promotor de justiça e o mesmo tempo destinado à defesa. A juíza Eline Paixão leu a sentença às 22h15.

O crime

De acordo com o inquérito policial que originou a denúncia do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), no dia 03 de dezembro de 2018, por volta das 08h00, na Travessa Pato Branco, nº 10, Bairro Coroado III, Thaís matou Luana Freire de Souza a golpes de faca. Segundo a denúncia, Thaís morava na mesma casa que a cunhada e planejou o crime um dia antes sabendo que ficaria somente as duas na residência.

Thaís teria utilizado de uma camiseta para cobrir o rosto e entrou no quarto de Luana e desferiu as facadas. Depois, para simular um roubo seguido de morte, deixou o local e levou a filha para tomar vacina em um posto de saúde. Quando retornou alarmou a família que alguém havia estado na residência, roubado dinheiro e matado Luana. Na mochila que foi encontrada em poder de Thaís foram encontrados R$ 7500,00 subtraídos da mãe de Luana. Ao confessar o crime Thaís disse que matou a cunhada por ela ser muito mimada pela família.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.