Domingo, 22 de Setembro de 2019
Medida

Órgãos de segurança traçam estratégias para reduzir homicídios na capital amazonense

De acordo com o secretário de segurança, Sérgio Fontes, serão tomadas medidas como operações policiais nos fins de semana e mais polícia nas ruas fazendo policiamento preventivo e repreensivo



homi.JPG Na noite de segunda-feira (4), dois homens, sendo um adolescente, foram mortos na rua 5, Parque Mauá, no Mauazinho, Zona Leste
07/07/2016 às 14:28

As 16 mortes ocorridas nos primeiros cinco dias deste mês, uma média de três por dia, está sendo considerado alto, disparou o alarme dos órgãos de segurança, segundo informou na última quarta-feira (6) o secretário de segurança pública Sérgio Fontes. Ele disse que já marcou uma reunião com delegados da Polícia Civil e comandantes da Polícia Militar para que sejam tomadas medidas para evitar o crescimento.

De acordo com o secretário, serão tomadas medidas como operações policiais nos fins de semana, mais polícia nas ruas fazendo policiamento preventivo e repreensivo. Foram disponibilizadas mais duas viaturas para a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Fontes classificou o caso como uma anomalia e disse que a principal motivação é o tráfico de drogas, mas que apesar dessas mortes, os índices de homicídio ainda são superiores em 12% com relação ao mesmo período do ano passado.

De acordo com informações do secretário, nos cinco primeiros dias do mês de julho do ano passado foram assassinadas 20 pessoas. Foram 18 homicídios, um latrocínio e uma por intervenção policial.   Dos 16 deste ano, 13 foram homicídios e três por intervenção policial, que são os mortos em confronto com a polícia.

“A polícia está fazendo esforço de Hércules para diminuir os índices de homicídios em Manaus”. Foi o que disse ontem o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) Ivo Martins e que os objetivos estão sendo alcançados. O último caso ocorreu às 7h30 de terça-feira no bairro Parque Mauá, na Zona Leste. “Nós estamos com mais de 30 horas sem registrar um homicídio”, disse o delegado.

Sem revelar os números, o delegado confirmou o que disse Sérgio Fontes. Ele revelou que as investigações estão adiantadas. O caso do médico o coordenador da clínica médica do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, Emerson Rios Sena, 56, encontrado morto em seu apartamento na segunda-feira, já foi elucidado e o suspeito identificado e preso.

A polícia também tem a motivação do triplo homicídio ocorrido ma madrugada de sábado no beco Mirasselva, bairro da Redenção já está definida. O delegado não quis revelar a motivação dizendo que atrapalharia as investigações, e disse que os mesmos eram assaltantes. 

De acordo com o delegado, há outros casos como o duplo homicídio do Parque Mauá e do fuzileiro naval que estão adiantados.  Martins informou que os inquéritos já foram instaurados, as testemunhas foram chamadas para serem ouvidas, porém ainda não compareceram.

Morte na Compensa é ‘endêmica’

O delegado da DEHS, Ivo Martins disse que as mortes que vêm acontecendo no bairro da Compensa, Zona Oeste, são problemas endêmicos e estão relacionados ao tráfico de drogas.  “Esse não é um problema que não é de hoje. Temos conseguido êxito, mas as pessoas continuam matando. Ali é o caso clássico de disputa entre as facções naquela área”, disse Martins.

O delegado destacou outros casos ocorridos no mês passado que as investigações estão adiantadas e, de acordo com ele, em breve os autores serão presos e apresentados.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.