Domingo, 29 de Novembro de 2020
LIBERAÇÃO

Pais do menino que morreu afogado conseguem liberação do corpo no IML

José Araújo, de apenas 12 anos, morreu após desaparecer em um acidente de barco em Careiro da Várzea. O corpo foi encontrado pelo próprio pai



4cc56079-4f8e-4f87-b31a-0c7d517e92b2_AD5B33FF-7442-4D47-8A3A-FA8E852D9151.jpg Foto: Divulgação
03/10/2020 às 17:28

Os pais do menino José Gabriel da Silva Araújo, de 12 anos, que morreu após desaparecer em um acidente de barco no município de Careiro da Várzea, quando a embarcação bateu em um barranco, no Rio Solimões, conseguiram a liberação do corpo da criança no Instituto Médico Legal, na manhã deste sábado(3).

O corpo do pequeno José Gabriel foi encontrado pelo próprio pai, boiando nas proximidades da comunidade Divino Espírito Santo. Segundo os familiares, a família resolveu continuar as buscas após o Corpo de Bombeiros abandonar a procura por João Gabriel, no primeiro dia. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médio Legal e os pais disseram que estavam encontrando dificuldades para liberação do corpo.



Emocionada, a mãe do menino reclamou e disse, em prantos, que não poderá prestar as homenagens póstumas ao filho, por causa da demora no atendimento do Corpo de Bombeiros.

“A gente tava aguardando o Corpo de Bombeiros de Coari, que nunca chegou. Eles falavam que iam, mas não iam. Eu implorei para eles irem, mas diziam que iam num dia, iam no outro e eu pedia, pelo amor de Deus para eles retirarem o corpo do meu filho do fundo do rio. Meu filho está todo desfigurado, o bicho comeu o rostinho dele, os bracinhos dele. Você enterrar um filho todo perfeitinho, é uma dor mas a gente aguenta. Mas, do jeito como ele tá, todo desfigurado, sem condições de fazer um velório para ele. É muito difícil. Se eles tivessem chegado logo, eu poderia ter feito o velório do meu filho. E hoje não posso mais. Tenho que ir direto para o cemitério. Eu agradeço à imprensa que nos ajudou a liberar o corpo do meu filho, aqui no IML”, disse Rosana Araújo.

Cinco pessoas estavam na mesma embarcação que naufragou com José Gabriel. Duas pessoas conseguiram ser resgatadas, mas o pequeno José Gabriel não pode ser resgatado.  

Mergulhadores

De acordo com o Corpo de Bombeiros do Amazonas, assim que acionada a corporação buscou atender a ocorrência. Mas, dos 12 bombeiros-mergulhadores, quatro estavam em trânsito, para a base arpão e quatro estavam afastados com diagnóstico positivo para Covid-19, como informou o Major Janderson Lopes.

“Teve esse desfalque na equipe devido a questão da Covid-19. Em casos como esse, onde há a necessidade do mergulhador, montamos uma equipe com três mergulhadores para dar a cobertura à área de buscas. Mas, não poderíamos prestar o atendimento com casos  de Covid-19 na equipe, até para manter a segurança de todos. E não podemos colocar qualquer pessoa para fazer esse trabalho. O mergulho é uma parte muito especializada das buscas prestadas pela corporação. É necessário termos bombeiros-mergulhadores especializados, até porque nas nossas águas, além da profundidade, visibilidade é muito difícil, o trabalho do mergulhador leva um bom tempo e é feito principalmente tateando a área de busca, devido a visibilidade”, disse Janderson. 

Em nota, divulgada na sexta-feira, o Corpo de Bombeiros do Amazonas presta esclarecimentos de que 02 mergulhadores estavam em condições de realizar as buscas.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.