Publicidade
Manaus Hoje
ASSASSINATO

Polícia Civil prende sexto envolvido na morte de líder comunitária do Nova Vitória

Rosenira Soares de Souza foi executada com sete tiros, em julho de 2016, por combater o tráfico de drogas no bairro. Ronildo Trovão Belém, 20, vulgo “Diamante”, estava escondido em uma casa na Zona Leste de Manaus 24/02/2018 às 12:23
Show 9e31bb0a bae6 46c7 aaad 14ccc5d1460d 1
Foto: Divulgação
acritica.com* Manaus (AM)

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), cumpriu na tarde de quinta-feira (22), por volta das 15h, mandado de prisão preventiva por homicídio em nome de Ronildo Trovão Belém, 20, conhecido como “Diamante”, envolvido na morte da líder comunitária Rosenira Soares de Souza, ocorrido em julho de 2016, na comunidade Nova Vitória, bairro Gilberto Mestrinho, Zona Leste de Manaus. A vítima tinha 47 anos.

O mandado de prisão preventiva por homicídio, em nome de Ronildo, foi expedido no dia 30 de julho de 2016, pela juíza Mirza Telma de Oliveira Cunha, da 1ª Vara do Tribunal do Júri.

Conforme o delegado Ricardo Cunha, titular do 4º Distrito Integrado de Polícia (DIP), a prisão foi efetuada após o recebimento de denúncia anônima, informando a localização de “Diamante”, que estava escondido na comunidade Nova Vitória.

“Ao longo das diligências em torno do caso obtivemos a informação de que o infrator estava residindo em uma casa situada na rua Abraão, naquela comunidade. Em ato contínuo, nos deslocamos até o local indicado, onde logramos êxito no cumprimento da ordem judicial”, declarou.

Ronildo foi indiciado por homicídio. Ao término dos trâmites na unidade policial, ele foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça. Em fevereiro de 2017, Ronildo foi detido com 44 trouxinhas de entorpecentes.

Relembre o caso

No dia 27 de julho de 2016, a líder comunitária da Comunidade Nova Vitória, Rosenira Soares de Souza, 47, foi alvejada com sete tiros e veio a óbito na rua Jefferson Péres, comunidade Nova Vitória, bairro Gilberto Mestrinho, Zona Leste de Manaus.

Conforme o delegado Ivo Martins, então titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o crime foi motivado pelo fato de Rosenira ter sido líder comunitária naquela comunidade e combater o tráfico de drogas no local, contrariando líderes criminosos que atuavam no lugar.

Presos

De acordo com Ivo Martins, cinco pessoas, identificadas como Ronaldo Maricaua Flores, 33, conhecido como “MK”; Wilson Castro da Silva, 22; o irmão dele, Frank Relle Castro da Silva, 21, chamado de “Lulu”; Alex Sandro Washington dos Santos, 21, o “Alex Colombiano”, e Márcia da Cruz Castelo, 42, participaram efetivamente do homicídio de Rosenira.

Os infratores foram presos em cumprimento a mandados de prisão preventiva por homicídio, expedidos no dia 7 de outubro de 2016, pela juíza Mirza Telma de Oliveira Cunha, da 1ª Vara do Tribunal do Júri.

Ronaldo foi preso no dia 8 de novembro de 2016, por volta das 13h, em uma residência localizada na rua Uirapuru, bairro São Bento, em Boa Vista (RR). Ele era considerado líder de um grupo criminoso que atuava na comunidade Nova Vitória. Com ele foram apreendidos R$ 20 mil em espécie. O dinheiro estava enterrado no quintal do imóvel onde ele estava.

Já em Manaus, as prisões dos irmãos Wilson e Frank Relle ocorreram por volta das 16h daquele mesmo dia, na rua Onze de Agosto, comunidade Nova Vitória. Os policiais encontraram com Wilson um revólver calibre 38 com 10 munições intactas. De acordo com o infrator, a arma foi utilizada para matar a líder comunitária, alvejada com sete tiros.

Em ato contínuo, Alex Sandro e Márcia foram presos na rua Oscar Romero, segunda etapa do bairro Zumbi dos Palmares, também na Zona Leste. Com Márcia os policiais apreenderam uma pistola Bereta com seis munições intactas, além de uma porção média de cocaína.

Os cinco presos foram indiciados pelo homicídio de Rosenira e por atuarem em organização criminosa envolvida em homicídio, tráfico de drogas, roubos, adulteração de sinais de veículo automotor, dentre outros crimes.

Ao término dos procedimentos cabíveis, Ronaldo, Wilson, Frank Relle e Alex Sandro foram conduzidos ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM). Já Márcia foi levada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF).

*Com informações da assessoria de imprensa.

Publicidade
Publicidade