Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
Pirata

Polícia prende chinês suspeito de vender relógios falsificados em loja do Centro

A polícia chegou até ele após comerciantes da área o denunciarem, afirmando que a venda irregular prejudicava o negócio deles, pagadores de impostos



a071fea7-c571-4d0b-aa53-7d2c196aed4e.jpg (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
07/06/2016 às 16:12

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação do 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP), prendeu em flagrante o comerciante chinês Lin Xiang Bao, de 25 anos, por receptação e crime contra a lei de marcas. Ele vendia relógios falsificados.

Ele foi preso na tarde de ontem, segunda-feira (6), por volta das 16h, na rua Doutor Moreira, Centro da cidade, Zona Sul. Segundo o delegado Aldeney Góes, titular do 24º DIP, os policiais chegaram até o infrator após o recebimento de denúncia anônima, feita por comerciantes da área.

Os denunciantes informaram que eles vendem produtos originais, pagam impostos e estavam tendo prejuízos em função das vendas irregulares de Lin Bao. “O comerciante vendia produtos que imitavam marcas conhecidas em típico comércio predatório, causando prejuízos a outros comerciantes e à arrecadação do Estado”, explicou Aldeney Góes.

Segundo o delegado, as investigações sobre a prática desses crimes no Centro da cidade é constante e começa desde os órgãos federais e estaduais, que têm a função de impedir que o produto falso entre no Brasil para comercialização ilegal. Durante a prisão, foram apreendidos relógios colocados à venda na loja dele.

Aldeney Góes explicou que o comércio predatório é quando alguém viola as regras impostas a todos do ramo comercial. Quem vende produto original paga imposto e direito autorais e quem vende produto pirata ingressa com produto no Brasil de forma ilegal, além de não gerar impostos e nem empregos. “Há uma concorrência desleal e, por isso, a legislação proíbe tal atitude”, argumentou. 

Lin foi autuado em flagrante por receptação e crime contra o registro de marcas. Como ele não tinha passagem pela polícia, foi estipulada fiança arbitrada no valor de um salário mínimo. Caso Lin pague, ele responderá pelo crimes em liberdade. Do contrário, ele será encaminhado à cadeia pública de Manaus.

*Com informações da assessoria de imprensa

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.