Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020
Roubo de armas

Polícia recupera armas de coronel militar falecido

Viúva do militar tem participação direta no "sumiço" das armas



9ac80581-aa9f-485d-be88-ffde30a4ccb2_A5D0EB8B-D26E-432A-84E2-67B659ACC1BE.jpg Foto: Filipe Távora
28/10/2020 às 12:33

Trinta e seis armas de fogo foram apreendidas durante operação policial realizada nesta quarta-feira (28). Elas pertenciam ao coronel Fernando Valente, falecido em 2018. No dia 3 de outubro, a Polícia Civil (PC) havia iniciado uma investigação com a suspeita de que elas haviam sido roubadas por assaltantes, mas a polícia descobriu que elas haviam sido vendidas sem autorização legal, pela viúva do militar, conforme delegado da PC.

As armas estavam localizadas na casa do militar, situada no bairro Parque Dez de Novembro, na Zona Centro-Sul de Manaus. Segundo o delegado Cícero Túlio, da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DERFV), a viúva do coronel, uma mulher de 42 anos, que não teve a identidade divulgada, havia vendido as 108 armas em 2018, sem autorização judicial e aprovação dos demais herdeiros do armamento.



“Algumas dessas armas foram vendidas a várias pessoas. Ela as vendia, dizendo que as entregaria após autorização da Justiça, mas depois as revendia a terceiros, que adquiriam de boa fé”, disse o delegado.

Dissimulação

A autoridade policial afirmou, ainda, que no dia 3 de outubro, a viúva do coronel, junto da filha e a companheira dela, mulheres de 24 e 25 anos, que não tiveram as identidades divulgadas, afirmaram à polícia que as 108 armas haviam sido roubadas por criminosos que se identificaram como falsos policiais.

Foi afirmado, também, que um carro que estava presente na casa do militar havia sido roubado.

Por meio de interceptações telefônicas, a polícia constatou que as suspeitas combinaram, entre si, de apagar atos comprometedores dos seus telefones. Elas planejaram, ainda, que teriam discrição quanto a assuntos tratados via telefone, para não levantar suspeitas à polícia.

Compradores enganados

Conforme Cícero, diversos atiradores desportivos compraram armas do coronel, por meio da viúva, desde 2018. Eles foram ouvidos na DERFV e comprovaram boa fé no tocante à aquisição das armas vendidas de maneira ilegal pela suspeita.

Túlio afirmou que as pessoas que adquiriram os armamentos, e ainda não foram identificadas pela polícia, devem procurar a DERFV e entregar as armas ou poderão responder por receptação.

A viúva e a filha dela responderão por falsa comunicação de crime, fraude processual, associação criminosa, falsidade ideológica e estelionato. A polícia continuará as investigações, a fim de identificar a participação de outros envolvidos no ato criminoso.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.