Publicidade
Manaus Hoje
motivo fútil

Policial que matou deficiente é preso pela Diretoria de Disciplina da Polícia Militar

A Polícia Civil também pediu a prisão do soldado, que acertou a vítima com um tiro no peito depois que ela jogou uma pedra na viatura 27/04/2016 às 10:09
Show 1073852
Policial está no Núcleo de Implantação do Presídio Militar, na Monsenhor Pinto, s/n, bairro Monte das Oliveiras, na Zona Norte de Manaus.
acritica.com* Manaus (AM)

O policial militar que matou um deficiente mental na última segunda-feira (25) já está preso, informou a Polícia Millitar em nota na manhão desta quarta-feira (27). Samuel Anderson da Costa de Araújo, que estava lotado na 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), encontra-se recolhido ao Núcleo de Implantação do Presídio Militar, na Monsenhor Pinto, s/n, bairro Monte das Oliveiras, na Zona Norte de Manaus.

A prisão foi determinada, com base na lei, pelo Plantão de Polícia Judiciária Militar da Diretoria de Justiça e Disciplina. 

A Polícia Civil também pediu a prisão do soldado. Nesta terça-feira (26), o delegado Raphael Campos, do 30º Distrito Integrado de Polícia (DIP), representou pela prisão do PM à Justiça Estadual, uma vez que o soldado ainda não se apresentou na delegacia para prestar a versão dele sobre o caso.

De acordo com o delegado, um inquérito policial foi aberto para investigar o crime e o policial precisa ser ouvido, pois é uma parte importante a ser ouvida para concluir o  procedimento. “Ele ainda não se apresentou, mas cometeu um crime comum e nesse caso, cabe à Polícia Civil instaurar o procedimento”, afirmou o delegado. 

Na nota divulgada nesta manhã, a Polícia Militar informou que o Samuel Araújo está à disposição da Justiça.

Crime

Segundo testemunhas, a vítima, Ivan Paulo da Silva, 33, jogou uma pedra na viatura que passava na avenida Brigadeiro Hilário Gurjão, no bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste. Um policial que conduzia a viatura foi atingido na cabeça. Conforme os relatos, o policial fez o retorno e atirou de dentro da viatura. O deficiente mental foi atingido na altura do coração.

*Com informações de Kelly Melo e Fábio Oliveira

Publicidade
Publicidade