Publicidade
Manaus Hoje
CRIME

Preso o último envolvido em assassinato de veterinário por causa de cachorro

Há três anos, Jardel Brito, o “Vovô”, foi contratado pelo mandante do crime, um policial aposentado, para conduzir um barco onde a vítima foi morta 17/11/2017 às 13:42 - Atualizado em 17/11/2017 às 13:52
Show 0c943e20 f64c 4d1b bfca 1ec529ebaed5
Foto: Divulgação
Dani Brito Manaus (AM)

Três anos após o veterinário Fernando Augusto de Souza Moura, de 62 anos, ser assassinado em Manaus, o quarto e último envolvido no crime foi preso. É o ex-catraieiro Jardel Brito da Silva, 28, mais conhecido como “Vovô”. A vítima foi morta em agosto de 2014 a mando de um policial aposentado porque teria “sumido” com um cachorro dele.

Jardel “Vovó” foi preso na tarde dessa quinta-feira (16), no beco 9 de Maio, bairro São Lázaro, Zona Sul de Manaus, em cumprimento a mandado de prisão. De acordo com o delegado do 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Demetrius Queiroz, “Vovô” havia contratado pelo policial aposentado Dorval Vieira, 82, o “Vavá”, para conduzir o barco onde veterinário foi morto.

Em depoimento à polícia, “Vovô” negou que soubesse do homicídio e disse que, apesar de estar no local na hora do fato, não teve nenhuma participação ativa na morte da vítima.


Foto: Arquivo A Crítica

Além de Jardel e Dorval, já foram presos José Bernardo de Oliveira, 61, mais conhecido como “Zé Canoeiro”, e Zacarias Araújo Duarte, 44, o “Timbau”.

O crime ocorreu em agosto de 2014. Na ocasião, o veterinário saiu de casa após ser atraído por “Vavá” para uma emboscada. A motivação do crime, segundo a polícia, seria pelo “sumiço” que a vítima teria dado ao cachorro do policial aposentado. Na época, “Vavá” confessou à polícia que o veterinário tinha dado fim ao cachorro de estimação dele a pedido da esposa o policial, depois que a mesma foi atacada pelo animal.

Todos os três presos já foram julgados e condenados a 17 anos de prisão. Agora que foi preso, Jardel deverá ficar à disposição da justiça.

Publicidade
Publicidade