Publicidade
Manaus Hoje
ASSASSINATO

Preso por matar namorado com ‘mata leão’ confessa crime motivado por ciúmes

Após matar o companheiro, “Bruninho”, que estava foragido, pensou que a vítima estivesse apenas desmaiada, mas ficou sabendo, dias depois, do óbito 22/03/2018 às 15:31
Show 000656ce fcda 4bf9 b20a e767108b7dc0
Foto: Divulgação
Conceição Melquiades Manaus (AM)

Foragido da Justiça, Bruno Alcântara Gama, de 24 anos, o “Bruninho”, foi preso no bairro Presidente Vargas, por volta das 11h de terça-feira (20), em cumprimento de mandado de prisão suspeito de matar o companheiro dele, Wanderson Souza da Silva, 33, um tatuador conhecido como “Shalon”, em novembro de 2017.

“Bruninho”, segundo a Polícia Civil, confessou ter aplicado um golpe de “mata leão” no companheiro por ciúmes. Ele relatou ter acreditado que Shalon tivesse ficado apenas desmaiado, mas ficou sabendo, dias depois, que Shalon tinha morrido. O crime ocorreu na casa onde os dois residiam, na rua Daniel Sevalho, no Igarapé do 40, bairro Raiz, Zona Sul da capital. Após assassinar o companheiro, “Bruninho” passou a perambular pelas ruas, usar drogas e a mendigar, fato esse que dificultou a localização dele.

Segundo o delegado Juan Valério, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), “Bruninho” que já havia sido preso em 2013 por furto, mas foi liberado para cumprir em liberdade com monitoramento de tornozeleira, que acabou destruída por ele. “Bruninho” foi apontado como foragido desde julho do ano passado, devido ao não cumprimento do mandado expedido em 8 de fevereiro.

Ainda segundo o delegado, a vítima foi encontrada pelo irmão dele, dois dias depois do assassinato. O mau cheiro provocado pelo avançado estado de putrefação vindo da residência do tatuador chamou à atenção do irmão, que foi verificar e, ao entrar na casa, encontrou a vítima morta.

Bruno foi indiciado por homicídio qualificado e será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde ficará à disposição da Justiça.

Publicidade
Publicidade