Publicidade
Manaus Hoje
FURTO

Quadrilha é presa por furtar 350 celulares em fábrica no Distrito Industrial

Crime causou prejuízo à fábrica estimado em R$ 360 mil. Funcionários da empresa faziam parte da quadrilha que vendia nas ruas os aparelhos roubados 12/03/2019 às 19:19
Show whatsapp image 2019 03 12 at 17.23.35 8fae3196 d24f 46a5 ac35 19addb206975
Foto: Alailson Santos/PC-AM
acrítica.com Manaus (AM)

O motorista de aplicativo de transporte privado urbano Fabio Freire Sousa Santos, 35; o segurança da fábrica John Wellington Pinheiro Jacome, 21; Marinho Moreira Rodrigues, 36, e o líder de produção Tiago da Silva Costa, 37, foram presos na última segunda-feira (11), por furtarem 350 celulares e causar um prejuízo estimado de R$ 360 mil, a uma fabrica situada no Distrito Industrial 1, Zona Sul de Manaus.

De acordo com o delegado Sinval Costa, diretor do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), o líder de produção e o segurança da fábrica passavam informações dos produtos aos comparsas. “Marinho era o intermediador do grupo e repassava os aparelhos para Fabio, que entregava aos clientes, após os celulares serem anunciados em um site de compra e venda, a preços bem inferiores aos praticados no mercado”, declarou Sinval.

Conforme o delegado, o crime ocorreu no dia 4 deste mês. Desde então, os aparelhos celulares da marca Motorola, oriundos do esquema criminoso, estavam sendo vendidos pelos infratores por valores que variam entre R$ 650 a R$ 900. Segundo a Polícia Civil do Amazonas, 100 celulares já foram recuperados.

“Fábio foi preso em via pública, nas proximidades da Arena da Amazônia, portando aparelhos celulares e outros objetos furtados da empresa. Em seguida ele indicou a localização dos comparsas. Tiago e John, que eram funcionários da empresa, foram presos no local de trabalho. Marinho foi encontrado em uma outra fábrica, onde trabalhava”, argumentou o delegado durante coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira (12).

Os quatro suspeitos foram autuados em flagrante por furto qualificado, receptação qualificada e organização criminosa. Eles foram para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis.

Publicidade
Publicidade