Terça-feira, 24 de Novembro de 2020
PRISÃO

Suspeito de matar adolescente é preso na Vivenda Verde

Crime aconteceu cinco meses atrás e um dos envolvidos estava foragido desde então; ele foi preso na madrugada de segunda-feira



853B6CA3-C283-448E-9DF0-DFDC70143BFA_15E1B014-A3C4-4C7F-8264-9D00C5EB7448.jpeg
27/10/2020 às 07:57

Erick Anderson Muniz Castro, 30, vulgo “DR” ou “Derick Rafael”, o segundo suspeito de envolvimento no assassinato da adolescente Lenita Silva da Silva, 14, no dia 23 de maio deste ano, foi preso na madrugada de domingo (25), pela 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Ele estava na condição de procurado da Justiça do Amazonas. 

Após cinco meses do crime, Erick Anderson acabou capturado por volta das 2h46, em uma abordagem policial na avenida Vivenda Verde, no bairro Tarumã-Açu, na Zona Oeste de Manaus. Ele foi identificado como foragido da Justiça durante consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp). 



Diante do fato, Erick Anderson foi apresentado pela guarnição no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), para os procedimentos cabíveis. Em seguida, ele foi encaminhado para a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que investiga o caso Lenita. 
O crime

Segundo as investigações da DEHS, Lenita foi atraída para uma suposta festa de aniversário e depois executada com seis tiros na rua Carlota Bonfim (antigo ramal da Praia Dourada), no bairro Tarumã, na Zona Oeste da capital. 

A adolescente foi acusada de entregar “Igor”, um dos membros da facção criminosa Comando Vermelho (CV), para ser morto por integrantes da Família do Norte (FDN). Por conta desse plano, João Matheus ficou com a responsabilidade de levar Lenita para uma emboscada. 

No inquérito policial, a equipe do Núcleo de Feminicídio da DEHS descobriu que para seguir com o plano, João Matheus entrou em contato com a namorada Lenita por meio da rede social, que marcou o encontro na casa de uma amiga no bairro Compensa. 

Por volta das 21h, a adolescente é vista entrando em um veículo Gol, de cor vermelha, que era conduzido por Cleando. Durante o trajeto, a jovem é questionada pelo trio sobre “caguentagem”. Em seguida, eles agridem Lenita e decidem executá-la. 

Investigação

Conforme as investigações avançam, a equipe da DEHS ao primeiro suspeito que teve a imagem divulgada pela imprensa e nas redes sociais. João Matheus Souza Sarmento, 19, comparece à especializada para prestar esclarecimentos, acompanhado de uma advogada. 

Em depoimento, João Matheus confirmou que Erick Anderson e Cleando confrontaram Lenita, acusado-a de ser traidora. Ele declarou ser inocente e que foi enganado pelos amigos, então, autores do assassinato. João Matheus sustentou a versão que ele foi obrigado a matar Lenita, mas a arma “bateu catolé”, enquanto a jovem estava sentada na calçada. 

João Matheus foi liberado após o interrogatório, ficando à disposição para novos esclarecimentos. Mas no decorrer das investigações, a polícia concluiu que o jovem mentiu sobre o caso e tem participação na trama. Ele está foragido. 

João Matheus teve a ordem judicial de prisão preventiva expedida no dia 18 de setembro de 2020, pela juíza Careen Aguiar Fernandes, da Central de Inquéritos. Já Cleando, o mandado de prisão preventiva, foi expedido em 30 de julho de 2020, pelo juiz James Oliveira dos Santos, também da Central de Inquéritos. 

Quem puder colaborar com informações que levem ao paradeiro dos foragidos da Justiça, pode entrar em contato com a DEHS pelo número (92) 3636-2874 ou pelo 181, o disque-denúncia da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). A identidade do informante será mantido em sigilo. 

A morte de Lenita segue sendo tratada pelo envolvimento da vítima com o tráfico de drogas. A adolescente mantinha uma rotina de amizades e relacionamentos amorosos com membros das facções criminosas FDN e CV.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.