Publicidade
Manaus Hoje
MORTE

Segurança da Faculdade de Medicina da Ufam é morto ao tentar evitar assalto

De acordo com a polícia, ele foi alvejado por bandidos na entrada da instituição. Samu ainda tentou reanimá-lo, mas profissional não resistiu aos ferimentos 08/03/2017 às 19:29 - Atualizado em 08/03/2017 às 20:07
Show whatsapp image 2017 03 08 at 19.27.49
Homicídio ocorreu por volta das 18h30 (Foto: Evandro Seixas)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

O vigilante José Edson Batista da Silva, 55,  morreu por volta das 18h30 da noite desta quarta-feira (08), após reagir a um assalto na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), localizada na Rua Afonso Pena, Centro de Manaus.

Segundo um policial da 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que não quis se identificar, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) tentou reanimar o rapaz, mas sem sucesso.

"O vigilante estava aqui na frente da Ufam, viu um homem se aproximando armado da instituição, e tentou reagir. Mas o delinquente foi mais rápido. O vigilante foi atingido com um tiro no ombro", disse o policial.

O vigilante era funcionário da empresa Global Service, que presta serviços para a instituição.

De acordo com o tenente Everton Zaranza, supervisor de área da 1º Cicom, os bandidos responsáveis pelo crime haviam acabado de roubar uma barbearia na Cachoeirinha e, ao passarem pela Faculdade de Medicina, tentaram roubar a arma do vigilante. Ele reagiu e foi baleado nas costas. Os bandidos, segundo o policial, estavam em um carro Prisma, de cor preta, e fugiram sem levar nada. 

Perícia esteve no local para coletar informações (Foto: Evandro Seixas)

Três tiros foram ouvidos 

Uma das testemunhas, que não quis se identificar, disse que estava dentro de casa, nas proximidades da Faculdade, quando ouviu três disparos. 

"O vigia tinha acabado de trocar de turno. Sempre sabemos o horário que isso acontece. Hoje estava em casa quando ouvi três disparos. Depois disso vim correndo para a universidade, e encontrei o vigia pedindo ajuda no chão", disse a testemunha, acrescentando que os assaltantes correram para as redondezas da Universidade.

"Quando saí da minha casa, vi os dois bandidos correndo com a arma na mão. Fugiram com um Prisma preto. Eles estavam de calça jeans e camisetas brancas", comentou a testemunha, acrescentando que um dos bandidos ficou no carro e outros dois foram em direção do segurança. "Essa área está terrível de assalto. Todo dia é essa situação", desabafou a testemunha.

 

Publicidade
Publicidade