Publicidade
Manaus Hoje
RIXA

Seis homens são presos suspeitos de matar três 'amigos' em briga de facção

Grupo foi preso por policiais militares na manhã deste sábado (12). Segundo a Polícia Militar, tanto as vítimas quanto os supostos executores fazem parte da Família do Norte (FDN). Homens estão no 1º DIP 11/03/2017 às 13:07 - Atualizado em 11/03/2017 às 17:02
Show presos033
Grupo foi levado ao 1º DIP para procedimentos (Foto: Arquivo/AC)
Isabelle Valois Manaus (AM)

Seis pessoas foram presas e um menor foi apreendido no final da manhã deste  sábado (11), no momento em que organizavam a vingança a um grupo rival possivelmente responsável pela morte de alguns integrantes do grupo que foram executados na semana passada no Morro da Liberdade, Zona Sul de Manaus. Os suspeitos foram presos em um casarão localizado na rua Olário, bairro São Lázaro,  na mesma zona na cidade.

De acordo com o tenente da Força Tática, Michel Vilarino, a polícia recebeu uma denúncia anônima onde foi repassado que o grupo responsável por comandar o tráfico de drogas no São Lázaro estavam organizando uma vingança contra um grupo que comanda a venda de drogas no Prosamim da Silves.

"Fomos até o local e nos deparamos com os sete suspeitos. Dentro da casa encontramos sete coletes balísticos, sendo que um era da Polícia Civil, uma pistola importada de calibre ponto 45, uma pistola 380 com a numeração raspada, munições de calibre 12, um carregador de uma submetralhadora, além de um quilo de skank é um quilo possivelmente cocaína", contou.

Foram presos Francisco Wanderlan Braga de Araújo, 28, Bruno Santos de Lira, 24, Átila Bruno Vinhaote de Araújo, 24, Jean Carlos Araújo de Aquino Júnior, 20, Breno Washington Martins Silva, 20, Marcos Paulo Barbosa, 22 e aprendido um menor de 17 anos.

Todos foram conduzidos para o 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde irão responder pelos crimes de formação de quadrilha, tráfico de entorpecentes e porte ilegal de arma de fogo. O menor será conduzido para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Inflacionais (Deaai) e estará à disposição da justiça.

Publicidade
Publicidade