Publicidade
Manaus Hoje
ASSALTO

Sobrinho preso por assaltar distribuidora do tio confessou crime para ‘se vingar’

Felipe Gomes é ex-funcionário do estabelecimento e um dos três presos pelo assalto. Ele disse que queria se vingar do “tio-patrão” porque trabalhava 12 horas por dia e só recebia 180 por semana. Outros dois estão sendo procurados 14/02/2019 às 11:31 - Atualizado em 14/02/2019 às 11:33
Show 57f12cd8 0a1f 4454 8533 3d248d6f1808 1f02e920 9d9f 40a7 9643 c3a7e64d8825
Foto: Winnetou Almeida
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Um trio envolvido em um roubo a uma distribuidora de bebidas no dia 7 de janeiro deste ano foi preso nessa quarta-feira (13), em Manaus, pela polícia. Os suspeitos provocaram um prejuízo de R$ 30 mil no estabelecimento localizado no bairro Cidade de Deus, na Zona Norte de Manaus.

Os presos foram identificados como Rayron da Rocha Anselmo, 26; Marcos André Lima Ribeiro, 31, o “Arroz”, e Felipe Gomes da Silva, 24, que era funcionário da distribuidora e sobrinho do dono do estabelecimento. Outros dois estão sendo procurados pela polícia. São eles Mateus Cabral Ferreira e um adolescente de 17 anos.

De acordo com o delegado Ricardo Cunha, titular do 13º Distrito Integrado de Polícia (DIP), o dono do estabelecimento de 66 anos procurou a delegacia para relatar o crime. Com o início das investigações, os policias civis descobriram que Felipe, ex-funcionário da distribuidora, foi o responsável por arquitetar o crime e Rayron foi quem levou os infratores até o local e deu fuga o grupo.

“Depois de fazermos as entrevistas, chamou a nossa atenção a rapidez que o crime aconteceu. O Marcos rendeu o dono do estabelecimento e os outros dois, Mateus e o adolescente, foram direto onde o dinheiro estava escondido, que era dentro das caixas de cerveja. Entendemos que uma pessoa teria repassado as informações do local e chegamos até o Felipe”, explicou o delegado.

Segundo o titular do distrito de polícia, Felipe confessou que planejou o crime por vingança ao tio. “Ele declarou que fez por vingança, porque trabalhava 12 horas ao dia e só recebia 180 por semana do tio. Então, ele contratou o Marcos, que recrutou o Mateus e o adolescente. Rayron foi o responsável de fazer o transporte deles no dia do crime”, comentou.

O delegado também completou que o dinheiro roubado no dia do crime não foi recuperado. Os suspeitos relataram que gastaram todo o valor. “O dinheiro não foi recuperado, porque já se passaram 30 dias do crime. Eles alegaram que dividiram o dinheiro, R$ 6 mil para cada, e realizaram festas e compraram drogas”, ressaltou.

No 13º DIP, foi identificado que Marcos, o “Arroz”, já possui passagem pela polícia por roubos e porte de arma de fogo por uso restrito. Ele possui também mandado de prisão em aberto, pois fugiu de uma unidade prisional da capital.

Felipe, Marcos e Rayron foram indiciados por roubo majorado e associação criminosa. Ao término dos procedimentos cabíveis na delegacia, eles serão encaminhados ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde deverão ficar à disposição da Justiça.

Publicidade
Publicidade