Publicidade
Manaus Hoje
OPERAÇÃO

SSP e Polícia Civil prendem lideranças da facção FDN com armas e carro blindado

Ocimar Prado, o “Coquinho”, e Ronny Costa, são considerados de alta periculosidade e mandantes de diversos assassinatos na capital 28/05/2017 às 13:44 - Atualizado em 28/05/2017 às 13:58
Show 1495993365782031
Foto: Divulgação
acritica.com

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) e a Polícia Civil prenderam na noite deste sábado (27), em Manaus, as duas maiores lideranças da organização criminosa Família do Norte (FDN): Ocimar Prado Júnior, o “Coquinho”, e Ronny Costa dos Santos, considerados criminosos de alta periculosidade e mandantes de diversos assassinatos motivados pela disputa do tráfico de drogas na capital.

Os dois foram presos por volta das 22h30 em um posto de gasolina na rua Raimundo Nonato de Castro, no bairro Ponta Negra, na Zona Oeste da cidade, logo após saírem de um condomínio de luxo. Segundo as investigações, o grupo usava um apartamento neste condomínio de luxo apenas para realizar reuniões de integrantes da facção. O apartamento tinha poucos móveis e não tinha sinais de que havia alguém morando no local.

Na operação também foram presos Daniel Cesar Muller, que tinha mandado de prisão por homicídio, e Reinaldo Padilha Natal de Lima, envolvido com o tráfico de drogas, segundo a polícia. A ação contou com a participação de 20 policiais da Secretaria Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai), ligada à SPP, e do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc) e do Grupo Fera da Polícia Civil. Foram apreendidas quatro pistolas, uma de 380 e outra de 9 milímetros, e mais dois carros, uma SD10 e um Passat blindado.

De acordo com investigação da Seai, “Coquinho” e Ronny passaram a responder pelo comando da organização criminosa FDN desde que lideranças da facção foram presas e transferidas para presídios federais em 2015, e após a prisão do traficante Érick Leal Simoes, vulgo “CD”. Todas as ordens para matar rivais do tráfico e decisões da venda de drogas passavam por eles, conforme as investigações da polícia.

De acordo com levantamento da Seai, os presos ostentavam um alto padrão de vida, fruto da atividade criminosa. Eles irão responder por associação criminosa e posse ilegal de armas de fogo de uso restrito e permitido. A autoridade policial responsável pelo inquérito solicitou ao juiz plantonista que todos os presos sejam colocados imediatamente em regime disciplinar diferenciado.

 O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, destacou que a prisão enfraquece as atividades criminosas dessa facção em Manaus, que tem causado diversos assassinatos na cidade por conta da disputa do tráfico de drogas. Fontes ressaltou que desde 2015 todas as lideranças foram presas pelas forças estaduais de Segurança e pela Polícia Federal.

*Com informações da assessoria

Publicidade
Publicidade