Terça-feira, 24 de Novembro de 2020
INVESTIGAÇÃO

Supeitos da morte de adolescente de 14 anos são presos em Manaus

Dois últimos suspeitos da morte de Lenita Silva da Silva, 14, foram presos ao longo desta terça-feira (27), em cumprimento de mandado de prisão preventiva



123022705_10224375274913995_6361625577227996383_o_3B017014-B976-4E3F-83C1-909334EDBE90.jpg Foto: Josemar Antunes
27/10/2020 às 15:50

Os dois últimos suspeitos da morte de Lenita Silva da Silva, 14, foram presos ao longo desta terça-feira (27), em cumprimento de mandado de prisão preventiva. A ação realizada pela equipe da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) ocorreram em locais distintos da capital amazonense.

João Matheus Souza Sarmento, 19, foi preso em um condomínio na comunidade União da Vitória, no bairro Tarumã, na Zona Oeste, onde residia com a mãe. Ele já havia sido preso temporariamente no dia 2 de junho deste ano. A ordem judicial foi expedida em 18 de setembro.



Em ato contínuo, Cleandro Vasconcelos Viana, 29, conhecido como "Barba", foi localizado após denúncias anônimas na Vila Amazonas, no bairro Nossa Senhora das Graças, na Zona Centro-Sul.

O mandado judicial foi expedido no dia 30 de julho pelo juiz James Oliveira dos Santos.

Já Erick Anderson Muniz Castro, 30, vulgo "DR" ou "Derick Rafael", outro envolvido no assassinato, foi detido em uma blitz na madrugada de domingo (25), na avenida Vivenda Verde, no bairro Tarumã-Açu, na Zona Oeste.

De acordo com a delegada Marília Campello, adjunta da DEHS, a morte da adolescente foi motivado por briga entre membros de facções criminosas.

"Durante as investigações, constatamos que João Matheus fez contato com a vítima com a desculpa de uma festa. De início, ele colaborou com as investigações e disse que o crime foi motivado em decorrência de brigas entre membros de facções criminosas no bairro da Compensa, na Zona Oeste. João Matheus apontou Erick Anderson e Cleandro como os autores", explicou.

O crime

Após aceitar o convite de João Matheus, a adolescente entrou no carro Gol, de cor vermelha, conduzido por Cleandro, que negou o crime e confessou ter emprestado o veículo sem conhecimento da prática criminosa. Em depoimento, Erick Anderson também nega o envolvimento no crime.

Em novo interrogatório, João Matheus preferiu se manter em silêncio. No inquérito policial, o jovem convidou Lenita para a suposta desta por meio de mensagens instantâneas pelas redes sociais.

Lenita foi acusada pelo trio de repassar informações para integrantes da facção criminosa Família do Norte (FDN), com o plano de integrar "Igor", um dos líderes do Comando Vermelho (CV).

Com avanço das investigações, as equipes policiais descobriram que Lenita tinha amizades com integrantes das duas facções criminosas. Informações da poliícia apontam que adolescente também mantinha um relacionamento com João Matheus.

Prisão

Conforme informações do delegado Charles Araújo, titular da DEHS, as prisões foram efetuadas com denúncias da população.

"As informações anônimas foram checadas e conseguimos êxito nas ações. As equipes descobriram os locais e fizemos o cerco policial, sem qualquer reação dos acusados", disse.

Antecedente criminal

Cleandro já era investigado pela equipe da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfv). Já Erick Anderson também possui passagens processos criminais. João Matheus não tem antecedente criminal.

Etick Anderson, Cleandro e João Matheus irão responder pelo crime de homicídio qualificado. O trio será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça. O caso está elucidado pela Polícia Civil.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.