Publicidade
Manaus Hoje
LATROCÍNIO

Suspeita de latrocínio que vitimou PM é presa ao sair de culto evangélico em Manaus

Jaiara, 23, negou participação. O parceiro dela, também envolvido, já foi julgado e condenado a 20 anos pelo mesmo crime 26/07/2017 às 14:03 - Atualizado em 26/07/2017 às 14:11
Show 12a9af78 2b61 4dd1 8b5b 395f1b66c5c1
Foto: Jander Robson
Dani Brito Manaus (AM)

Uma mulher identificada como Jaiara Ketlen Conceição Leal, de 23 anos, foi presa na noite desta terça-feira (25) em Manaus, pela Polícia Civil, como suspeita de participar do latrocínio que vitimou o sargento da Polícia Militar Marcos Aurélio Marques Soares, 52, morto a tiros na noite do dia 21 de abril na comunidade Nova Floresta, Zona Leste.

A suspeita, segundo a polícia, foi presa ao sair de um culto evangélico em uma igreja localizada ma rua Nossa Senhora da Conceição, bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus. A prisão dela foi realizada por policiais do 13º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Segundo os policiais, o parceiro de Jaiara, identificado como Lineker Araújo Silva, 25, já havia sido preso pela equipe da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD). Lineker, inclusive, já foi julgado e condenado a 20 anos de prisão no último dia 13 deste mês pelo mesmo crime.

Confrontada pelos policiais, a mulher negou participação no latrocínio do sargento. Ela disse que não sabia que o companheiro dela, Lineker, teria ido à comunidade Nova Floresta para assaltar e que apenas teve conhecimento disso ao chegar ao local. Ela foi encaminhada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) onde deverá permanecer à disposição da Justiça.

Sargento morto a tiros

O sargento da PM Marcos Aurélio Marques Soares, 52, morreu na noite do dia 21 de abril deste ano horas depois de ser hospitalizado no Hospital e Pronto Socorro Platão Araújo como vítima de arma de fogo. Ele foi alvejado com três tiros durante um assalto em frente a um lanche da família dele na comunidade Nova Floresta, Zona Leste de Manaus.

Na época, familiares informaram à reportagem que o suspeito do crime chegou ao local numa motocicleta, acompanhado de uma mulher na garupa. O suspeito fingiu que compraria um lanche e, logo depois, anunciou o assalto. O sargento da PM teria reagido e o assassino então efetuou três disparos. Em seguida, os suspeitos fugiram na moto sem levar nada.

Publicidade
Publicidade