Sábado, 15 de Agosto de 2020
tentando fugir

Suspeito de matar miss Manicoré é preso na fronteira com a Venezuela

Rafael Fernandez Rodrigues, 31, foi preso nesta tarde na cidade Pacaraima, município localizado no norte do estado de Roraima



rafael_xxxxx_3FC2C1ED-3E14-4FCE-92FF-2BF13BF70624.JPG Fotos: Reprodução / Internet
15/05/2020 às 17:15

O analista judiciário do Tribunal Regional do Trabalho (TRT11) Rafael Fernandez Rodrigues, 31, principal suspeito do homicídio da miss Manicoré Kimberly Karen Mota, 22, foi preso na tarde desta sexta-feira (15) na cidade Pacaraima, município localizado no norte do estado de Roraima, na fronteira com a Venezuela.

De acordo com o delegado Paulo Martins, titular da DEHS, equipes da DEHS estão indo ao município realizar o recambiamento de Rafael para Manaus.



Em nota, a Secretaria de Comunicação do Governo de Roraima informou que a captura de Rafael se deu durante a Operação Roraima Segura II, que contou com ações pontuais de Policiamento Ostensivo e repressivo, com Postos de Bloqueio e Controle em Estradas e Rodovias em praticamente todo o Estado de Roraima.

Após uma denúncia anônima ele foi localizado escondido em um barraco, em uma região conhecida como “Morro do Quiabo”. Ao se deparar com os policiais, Rafael tentou fugir pela mata, mas acabou sendo capturado pelos militares.

A Operação Roraima Segura II conta com um efetivo de 92 Policiais Militares, operando com 25 viaturas distribuídas nas seis Companhias Independentes de Fronteira (CIPfron), as quais são responsáveis pelo Policiamento Ostensivo em todos os municípios e vilas do Estado de Roraima.

O suspeito está sendo conduzido para a capital Boa Vista, onde será apresentado à autoridade policial e posteriormente recambiado para o Amazonas, onde o crime foi cometido.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.