Publicidade
Manaus Hoje
UM SUSPEITO ESTÁ FORAGIDO

Suspeitos de participar do homicídio da travesti 'Paola Bracho' são presos

Em depoimento a polícia, Bruno das Chagas Monteiro, que na época tinha 17 anos, confessou o crime. Luiz Rosa Lima foi detido em Presidente Figueiredo 26/04/2017 às 20:23 - Atualizado em 26/04/2017 às 20:26
Show travesti0333
Bruno das Chagas (de blusa preta) era menor de idade quando o crime ocorreu. Foto: Jander Robson
Rita Ferreira Manaus

Após cinco meses de investigação, equipes do 7º Distrito Integrado de Polícia (DIP), prenderam na tarde de terça-feira (25), dois homens suspeitos de participar do homicídio da travesti Darlisson Silveira Mamede, conhecido como “Paola Bracho”, morto no ano passado. Um terceiro suspeito continua foragido.

Bruno das Chagas Monteiro, 18, foi o primeiro a ser identificado e preso pela Polícia no bairro Nova Cidade, zona Norte de Manaus. Como ele era menor de idade quando ocorreu o crime, foi encaminhado a Delegacia Especializada em Atos Infracionais (Deaai), onde responderá por crime análogo a homicídio.

O suspeito confessou o crime, contou o modus operandi (modo de operação) e entregou a localização dos outros dois comparsas para a polícia. Luiz Rosa Lima, de 27 anos, foi detido numa comunidade no município de Presidente Figueiredo (a 107 km de Manaus).

Conforme Bruno relatou aos policiais, um terceiro suspeito de 17 anos também participou da ação e fugiu para a cidade de Itamarati, onde permanece escondido. A prisão dele ficará sob a responsabilidade da Deaai.

O crime
O cabeleireiro era conhecido como "Paola Bracho", foi estrangulado na própria na casa, no bairro Crespo, zona Sul, em 24 de novembro do ano passado. Na época, acreditava-se que o crime se tratava de um latrocínio, pois dois celulares da vítima haviam sido furtados pelos assassinos.

Em depoimento a polícia, Bruno contou que foi o primeiro a conhecer Darlisson e apresentou os outros dois suspeitos. Segundo ele, os três foram contratados pelo travesti para morar na casa dele por duas semanas a fim de causar ciúme ao ex-namorado da vítima.

Em troca do serviço, eles receberiam R$ 2 mil e celulares modelo Iphone 6. No entanto, no quarto dia, Darlisson começou a exigir que os três tivessem relações sexuais com ele e com outros amigos.

Bruno relatou que eles ficavam trancados na residência e se recusaram a fazer sexo com a vítima. Para fugir do local eles tentaram fazer a vítima desmaiar, mas estrangularam o cabeleireiro com um cinto.

Publicidade
Publicidade