Publicidade
Manaus Hoje
EXECUÇÕES

Três homens são assassinados a tiros no Beco São Luiz, no Morro da Liberdade

Crime ocorreu na noite desta quarta-feira, por volta das 19h. Segundo major da PM, um dos mortos "estava na hora errada e no lugar errado". 01/03/2017 às 20:43 - Atualizado em 01/03/2017 às 22:49
Show whatsapp image 2017 03 01 at 20.40.14
Crimes ocorreram por volta das 19h (Foto: Gilson Mello)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Três homens foram assassinados por volta das 19h da noite desta quarta-feira (01), na Rua São Luiz e no beco que leva o mesmo nome, no bairro Morro da Liberdade, Zona Sul de Manaus. 

Segundo o Major da Polícia Militar  Márcio Leite, a suspeita é que as vítimas estejam envolvidas com tráfico de drogas. Eles foram identificados como Diego Viana dos Santos, que era segurança, Igor Renato Lima Pires, de 26 anos, e o outro identificado apenas como Caio

"Por volta das 18h, três pessoas encapuzadas chegaram no beco com escopetas. Atiraram em um homem que estava na via. O outro que estava com ele correu para parte de cima do beco, mas foi alvejado. A última vítima estava na hora errada e no lugar errado", explicou o policial.

A informação inicial é de que os homens teriam chegado na rua com um carro Palio, de cor preta.  "Os moradores nos falaram que eles estavam em um carro preto, mas essa informação ainda não foi confirmada. Como aqui é uma área complicada pela existência do tráfico de drogas, os moradores ficam com medo de falar", disse o major.

O titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DAHS), Ruan Valério, afirmou que a execução pode ter sido realizada por guerras de facção. "Infelizmente tivemos mais uma ocorrência. Inicialmente trata-se de um homicídio ligado a tráfico de drogas, disputa por território. Acreditamos que seja uma retaliação de traficantes do Santa Luzia com os do Morro", disse ele.

Parente de uma das vítimas, o segurança Diego Viana da Silva, 26, que não quis se identificar, destacou que o homem estava cortando caminho para casa. "Ele estava voltando da corrida. Sempre aconselhamos a ele a não passar por aqui, porque sabíamos dos problemas com tráfico de drogas", comentou.

 

Publicidade
Publicidade