Publicidade
Manaus Hoje
HOMICÍDIO

Trio é preso por matar homem decapitado e enterrar corpo em terreno no Parque Dez

Vítima, conhecida como “Ronny”, estava desaparecida desde janeiro deste ano e, segundo a Polícia Civil, foi morta por envolvimento com o tráfico de drogas 28/03/2018 às 11:43 - Atualizado em 28/03/2018 às 20:56
Show 2be63ee0 1ff4 41d6 a095 5a09e582c693
Foto: Jander Robson
Larissa Golvin Manaus (AM)

Três homens foram presos pela Polícia Civil do Amazonas suspeitos de participarem do assassinato de Ronniery Nascimento Rodrigues, de 30 anos, o “Ronny”, que estava desaparecido desde 25 de janeiro deste ano. A vítima foi decapitada e enterrada em um terreno no bairro Parque Dez. Segundo a Polícia Civil, ele tinha envolvimento com o tráfico de drogas.

Os três suspeitos presos são Fernando dos Santos da Silva, Gean Gomes das Chagas, 22, o “Babidi”, e Thiago Nazaré da Silva, 22, “Chili”. Todos foram capturados durante uma ação do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) na tarde de ontem, terça-feira (27). Fernando foi preso na rua Coronel Conrado Niemeyer, no Petrópolis, e Gean e Thiago foram presos no bairro Parque Dez.

Segundo a delegada Catarina Torres, titular da Delegacia Especializada de Ordem Política e Social (Deops), o desaparecimento de “Ronny” foi informado à polícia em 29 de janeiro, quando o irmão dele foi até a sede da Deops registrar o sumiço. No início das investigações, foi verificado que “Ronny” provavelmente teria envolvimento com o tráfico de drogas e, então, a delegada solicitou o apoio do DRCO para localizar a vítima.

No decorrer das diligências, a Polícia Civil confirmou que “Ronni” tinha sido assassinado por traficantes do bairro Parque Dez, na Zona Centro-Sul de Manaus, e que o corpo estaria enterrado numa área conhecida como “Buritizal”, na comunidade da União, antigo Bairro da União. Os policiais civis conseguiram prender os três suspeitos do crime e, assim, encontrar o corpo da vítima.

A ação policial contou com a ajuda da Secretaria Executiva Adjunta de Operações Integradas (Seaop), da Secretaria de Segurança Pública, e de policiais militares. Os três homens foram indiciados por homicídio qualificado, ocultação de cadáver e organização criminosa.

Publicidade
Publicidade