Quinta-feira, 24 de Junho de 2021
Presos em flagrante

Trio é preso suspeito de comercializar cilindros de oxigênio de ONG

O trio foi preso em flagrante pelos crimes de estelionato e associação criminosa. A polícia ainda está investigando quantos cilindros foram desviados



WhatsApp_Image_2021-03-30_at_17.03.56_396B899C-4E27-44C6-998C-6C8910AE04E3.jpeg Foto: Iago Albuquerque
30/03/2021 às 17:14

Deborah Bruna Oliveira Assad, 23; Eduardo Rodrigues de Lima, 49, e João Victor Araújo da Silva, 26, foram presos investigados pelo crime de estelionato. O trio comercializava cilindros de oxigênio de uma Organização Não Governamental (ONG) de maneira fraudulenta, segundo a Polícia Civil do Amazonas (PCAM). 

De acordo com o delegado Denis Pinho, titular da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), as prisões ocorreram na manhã desta terça-feira (30), por volta de meio-dia, na rua Humaitá, situada no bairro Cachoeirinha, na Zona Sul de Manaus.



Conforme Pinho, João Victor era o mentor do grupo. Foram apreendidos nove cilindros, R$ 1500 e aparelhos celulares. “Eles utilizavam da estrutura da empresa para recarregar os cilindros de forma criminosa”, disse o delegado. Eles eram vendidos no mercado negro, conforme a autoridade policial. 

Era pedido cerca de R$ 2 mi a R$ 3 mil por cada cilindro. “Estamos apurando a possibilidade de, que, no momento de ápice do déficit de oxigênio no Amazonas, era pedido cerca de R$ 6 mil reais em um cilindro”, afirmou. 

A suspeita é que os desvios tenham ocorrido desde dezembro. As esquipes de investigação estão investigando o envolvimento de outras pessoas. “Ressaltamos que indivíduos que adquirirem cilindros cuja origem desconheçam podem responder por receptação, no mínimo na modalidade culposa, cuja pena máxima é de dois anos”, disse. 

A ONG à qual pertencem os cilindros não possui envolvimento com o ato criminoso. A instituição realizou a denúncia do caso à polícia. 

Os cilindros estão apreendidos, e, após periciados, serão entregues à ONG. A polícia apreendeu, também, um carro que era utilizado no transporte dos objetos  desviados. 

João Victor era o responsável por se infiltrar na ONG, conforme Pinho. A polícia está averiguando qual é o grau de responsabilidade de cada um dos presos. 

O trio foi preso em flagrante pelos crimes de estelionato e associação criminosa. A polícia ainda está investigando quantos cilindros foram desviados.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.