Publicidade
Manaus Hoje
VIOLÊNCIA

Trio suspeito de manter duas mulheres em cárcere privado é preso pela polícia

Segundo a polícia civil, as vítimas eram mãe e esposa de um detento da Cadeia Pública e foram torturadas psicologicamente por causa de uma dívida de um carro 22/02/2017 às 18:19 - Atualizado em 22/02/2017 às 18:20
Show sdiufsdif
(Foto: Divulgação/PC)
Kelly Melo Manaus (AM)

Três pessoas suspeitas de manter duas mulheres, mãe e esposa respectivamente de um detento da cadeia pública Raimundo Vidal Pessoa, em cárcere privado por mais de três horas, foram presos na Zona Oeste. Segundo a polícia civil, as vítimas foram torturadas psicologicamente por causa de uma dívida de um carro.

O caso foi registrado no 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP). De acordo com o delegado Rodrigo de Sá Barbosa, a ação foi encomendada por um presidiário do Complexo Penitenciário Aniso Jobim (Compaj), identificado apenas como Magrelo, que ordenou que Pedro Pinheiro Lucena, a esposa dele, Josilene Silva dos Santos, e o outro comparsa, Yggor Hudson da Silva Lima, fossem até a casa das duas mulheres, no Parque São Pedro, de 51 e 39 anos, ameaçar de morte e cobrar a dívida, relacionada à compra de um carro. "O Cicatriz, mesmo estando preso, negociou um carro com o Magrelo, que pagou o carro, mas não recebeu. Por isso, ele mandou os comparsas irem na casa da mãe e esposa do Cicatriz para cobrar essa dívida", explicou o delegado.

O caso veio à tona durante a manhã da última terça-feira, porque durante a sessão de ameaças e torturas psicológicas, moradores do local desconfiaram do que estava acontecendo e acionaram a polícia militar inicialmente. Quantos os PM’s chegaram no local, encontraram os três suspeitos na casa, mas não encontraram nenhum armamento.

"Os três foram uma primeira vez na casa e ameaçaram as duas mulheres com uma arma. Depois eles saíram e voltaram duas horas depois sem o armamento, mas a vítimas relatam que foram ameaçadas com enxadas e paus por mais de 3h", disse Rodrigo Sá.

Os três foram levados à delegacia e confessaram o crime. Os policiais também realizaram diligências e conseguiram localizar na casa de josilene a arma utilizada para ameaçar a vítimas. Com eles, os policiais também encontraram mais de mil pinos. E aproximadamente R$ 3,3 mil. Os três também tem envolvimento com o tráfico de drogas e segundo Barbosa, são considerados perigosos.                       

Publicidade
Publicidade