Publicidade
Manaus Hoje
FORAGIDO

Último suspeito da morte de advogado é preso com drogas e armas em Manaus

O pistoleiro Ricardo Patreze da Silva, de 31 anos, responde a seis processos na Justiça por homicídios. Ele foi preso com o xará Ricardo dos Santos nesta terça-feira (20) 20/11/2018 às 17:03 - Atualizado em 20/11/2018 às 21:40
Show ricardos presos 5e537229 99d0 4091 9b35 631f6aebaf2d
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

O foragido da Justiça Ricardo Patreze do Nascimento da Silva, 31, vulgo “Box”, foi preso junto com Ricardo Amorim dos Santos, 38, na manhã desta terça-feira (20), no bairro São Sebastião, na Zona Sul de Manaus. Com a dupla foram encontrados 21 quilos de drogas, um revólver calibre 28, uma espingarda calibre 12, munições e mais de R$ 2 mil em espécie.

Ricardo da Silva é suspeito de envolvimento no assassinato do advogado Marcelino Aguiar da Cunha, 45, ocorrido no dia 15 de março em Manacapuru (a 65 km de Manaus). Ele é pistoleiro e responde a seis processos na Justiça pelos crimes de homicídio.

De acordo com o delegado Rodrigo Torres, titular da Delegacia Interativa de Manacapuru, Ricardo era o último envolvido na morte do advogado que faltava ser preso. Além dele, já estão presos os mandantes do crime, identificados como os irmãos José Daniel e Samuel da Costa Matos, o funcionário da empresa da dupla, Thiago de Azevedo Freitas, 30, e um adolescente de 17 anos, autor dos disparos.

Conforme as investigações, o advogado morreu no lugar de Augusto César Alexandre Bastos, o “Guto”, 32, que era alvo dos irmãos José e Samuel por causa de uma desavença antiga.

“No dia do crime, o Marcelino conversava com o Guto na frente da casa dele, quando o grupo criminoso se aproximou e efetuou os disparos que atingiram o advogado e o ombro de Guto, que era o alvo. Infelizmente o advogado acabou vindo a óbito”, disse.

O delegado disse, ainda, que Ricardo foi contratado pelo funcionário dos irmãos e chamou o primo dele, o adolescente de 17 anos, para matar Guto.

“Tomei conhecimento da prisão do Ricardo e entrei em contato com o delegado plantonista do 1º DIP para dar cumprimento ao mandado de prisão em nome do foragido. O Ricardo, mais conhecido como Box, é um pistoleiro e tem processos por homicídio. Ele ainda será ouvido aqui na delegacia sobre a morte do advogado”, disse Torres.

Publicidade
Publicidade