Quinta-feira, 24 de Setembro de 2020
violência

'Vela' é preso por participação em homicídios em Manaus, diz PC

Durante a prisão, Gilvan Oliveira Reis, que é bastante violento com suas vítimas, chegou a 'entregar' todos os comparsas



vela_04FAFABA-CA09-481F-B6AD-2AE7F69ED780.JPG Foto: Jair Araújo
18/07/2020 às 12:07

O homicida Gilvan Oliveira Reis, também conhecido como "Vela", foi preso nessa sexta-feira (17), em uma região de mata conhecida como "Orsal", situada na zona rural de Manaus. Segundo a Polícia Civil, o criminoso é apontado como autor do assassinato de Farliana Nunes Pinto, de 20 anos, encontrada morta na última quinta-feira (16), em uma cova rasa no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus. Além do crime, a polícia também confirmou a participação dele em outros cinco homicídios.

Durante coletiva realizada na manhã deste sábado, na Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS), o titular da Especializada, delegado Paulo Martins, detalhou sobre a prisão do então foragido.



"O indivíduo estava sendo investigado como autor da morte da Farliana. Chegamos a um menor de 16 anos, que nos levou ao local do crime e, posteriormente, chegamos à identificação do 'Vela'. Ele era acostumado a utilizar o outro nome, como Leonardo Sabino, no qual já respondia por crimes de tráfico de drogas. O nome verdadeiro dele, Gilvan Oliveira Reis, também estava sendo apontado em outros crimes, inclusive envolvido em roubos de carros e residências", destacou.

A operação, para a captura do bandido, contou com o apoio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos (Derfd), que passou a investigar "Vela" após um assalto com reféns, ocorrido em fevereiro, no bairro Novo Aleixo, de onde foram roubados um carro, dinheiro, joias e um cachorro de estimação da família.

"Verificamos que ele participou de um roubo a uma residência, ocorrido em fevereiro deste ano. Na ocasião do crime, ele e outros comparsas invadiram uma casa, roubaram jóias, dinheiro estrangeiro, um animal da família, além de um veículo S10, que ainda não foi localizado", explicou o titular, delegado Cícero Túlio. Ainda conforme o policial, a quadrilha costuma agir de forma violenta com as vítimas.

"São bastante violentos. Eles têm costume de decepar suas vítimas, ameaçar cortar os corpos delas na frente dos familiares", revelou a autoridade policial.

A companheira do acusado, Ana Carina Hage da Silva, a "Dama de Copas", de 23 anos, foi presa no último dia 7, após ser identificada como quem recebia todo o material roubado. Na ocasião das ações criminosas, a polícia afirma que ela também ajudava os membros da quadrilha a se esconderem, oferecendo a própria residência dela, na comunidade Alfredo Nascimento, zona norte da capital - mesmo local onde foi presa.

"Conseguimos chegar até ela, que era responsável por guardar o material do roubo e oferecer esconderijo aos integrantes da quadrilha. Soubemos até que ela tentava frustrar a ação das polícias Civil e Militar, quando faziam procedimentos ostensivos nas ruas. Como tinha visão privilegiada do local onde morava, ela filmava os policiais e enviava os vídeos para os comparsas, na tentativa de frustrar o trabalho da polícia. Era acostumada a fazer chacota com os policiais", salientou o titular da Derfd.

Durante a prisão de "Vela", na região de difícil acesso para a polícia, o criminoso disse que era integrante de uma facção criminosa e chegou a 'entregar' todos os comparsas, ambos investigados pela PC.

"Nos relatou que pertencia a uma organização criminosa e delatou todos os integrantes da quadrilha", afirmou Paulo Martins, acrescentando que o acusado será oitivado - procedimento onde o juiz interroga o réu - e, em seguida, deverá aguardar decisão da Justiça do Amazonas.

News fe58c969 f689 427d bdc3 fb9389c2f509 adee0aa5 fa35 42f7 850c 32125f8d473c
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.