Publicidade
Interior
FESTEJOS

Município de Amaturá celebra a festa de seus dois padroeiros no Alto Solimões

Durante todo o mês de julho, os amaturaenses se envolvem em uma das festividades mais bonitas do Alto Solimões em alusão aos padroeiros 10/07/2017 às 09:04 - Atualizado em 18/10/2017 às 18:03
Show 1247033
(Foto: Reprodução/Eduardo Gomes)
Kelly Melo

As cores vermelho e azul possuem uma simbologia que vai além da arena do bumbódromo, em Parintins. No município de Amaturá (distante a 907 quilômetros de Manaus), as cores, divididas em dois partidos, representam fieis que não medem esforços para angariar fundos para a principal igreja da cidade, a paróquia de São Cristóvão, que também é padroeiro da município. 

Mas a divisão entre o vermelho e o azul não significa uma disputa acirrada, como o que acontece com os Bumbás Caprichoso e Garantido. Os “partidos”, como são chamados, se mobilizam separadamente, realizam bingos, arrecadam de alimentos, vendem de comidas típicos e o resultado de todo esse empenho é revestido para uma única causa: a igreja.

Diferente da maioria dos municípios, Amaturá possui dois padroeiros: São Cristovão e Nossa Senhora do Carmo. E durante todo o mês de julho, os amaturaenses se envolvem em uma das festividades mais bonitas do Alto Solimões em alusão aos padroeiros.  Do dia 7 ao dia 16 eles celebram a Nossa Senhora do Carmo e do dia 16 a 25, as homenagens são para São Cristóvão, padroeiro também dos motoristas.

A dona de casa Nazaré Lopes, 43, vive no município há mais de 30 anos. Para ela, as festas dos santos são, sobretudo, um momento de fé e de união. “Durante todo o mês, chegam aqui pessoas de todos os municípios para pagar suas promessas. Toda a cidade é mobilizada e a gente fica impactado  com isso”, contou ela, que há mais de cinco anos trabalha na secretaria da igreja.

Fé e tradição

Apesar de as celebrações à Nossa Senhora do Carmo terem iniciado  oficialmente na última sexta-feira,  os fieis começaram  as demonstrações de fé e religiosidade desde o dia 1º julho, com a tradição da “tiração de mastro”,  existente há mais de mais de 60 anos.

“A gente aluga uma embarcação e várias pessoas seguem até a mata para escolher uma árvore e derrubá-la. Pessoas de várias idades, principalmente mulheres, participam desse momento e depois de retirado, o mastro é levado para a sede do município onde é enfeitado e no dia 7 é erguido com a bandeira de Nossa Senhora”, explicou Lopes.

“É uma forma de prestigiar e agradecer as graças recebidas que Nossa senhora sempre nos concede”, afirmou a enfermeira Valdineia Ramos, que é uma das juízas da tiração do mastro. Os festejo seguem até o dia 25, em celebração a São Cristóvão. A partir do dia 16, os fieis realizam uma nova romaria até a mata e fazem a retirada de um novo mastro que irá erguer a bandeira do santo.

Mês de festa

Os festejos de Nossa Senhora do Carmo e São Cristóvão, copadroeiros de Amaturá, seguem até o dia 25 de julho. Durante todo o mês, os fieis realizam novenas e romarias para celebrar os santos, numa tradição herdadas do frades capuchinos.

A festa no município é considerada uma das mais tradicionais do Alto Solimões, atraindo fieis de todos os municípios que vão pagar promessas na cidade. O evento  movimento não só a cultura e a religiosidade local, como também a economia do município.

Publicidade
Publicidade