Publicidade
Interior
INCENTIVO

Ações sustentáveis em 13 municípios no AM recebem R$ 2,5 milhões como incentivo

São 17 iniciativas em áreas de turismo, agricultura familiar, pesca e artesanato, extrativismo, entre outros, selecionadas no Edital Floresta em Pé, da FAS e do Fundo Amazônia 20/02/2018 às 17:01 - Atualizado em 20/02/2018 às 17:06
Show 19
A apresentação e celebração simbólica das parcerias entre as FAS e os empreendedores locais aconteceram hoje, às 10h, na sede da FAS, no bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus. Foto: Jair Araújo
Silane Souza Manaus (AM)

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e o Fundo Amazônia, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), apresentaram nesta terça-feira (20) os 17 projetos selecionados pelo Edital Floresta em Pé, iniciativa que visa apoiar atividades sustentáveis de geração de renda no interior do Estado. Ao todo, serão investidos R$ 2,5 milhões na área de turismo, agricultura familiar, pesca, artesanato e outros, em ações de 13 municípios do Amazonas.

De acordo com o superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana, cada projeto selecionado será beneficiado com até R$ 150 mil em investimentos diretos. Adicionalmente, todas as iniciativas terão acompanhamento  técnico da instituição para a execução das atividades, monitoramento de indicadores. Por fim, a FAS organizará encontros em Manaus para apresentação de resultados, discussão de lições aprendidas e integração.

“Agora, para os aprovados, nós vamos dar um curso de gestão de projeto porque a nossa experiência é que muitas vezes os projetos fracassam por falta de uma boa gestão. Além disso, eles vão receber um apoio de assistência técnica ao longo de todo o processo de implementação do projeto para que a gente aumente as chances que esses empreendedores tenham sucesso nas suas incitativas”, enfatizou Viana.

As inscrições para o Edital Floresta em Pé começaram em março de 2017, com a submissão de 188 propostas. O processo de escolha teve duas etapas de análise: a de iniciativas promissoras (para verificar se a proposta estava condizente com os critérios e objetivos do escopo do edital), e a segunda, de projetos detalhados (na qual foi feita uma análise da clareza de informações, orçamento e cronograma de atividades por um comitê de avaliação independente).

Todo o processo de seleção resultou, no dia 26 de dezembro do ano passado, na escolha de 17 projetos que receberam, hoje, o apoio financeiro para colocar as ações estipuladas em cada iniciativa.

Um dos projetos beneficiados é da Associação de Artesãos Indígenas de São Gabriel da Cachoeira (Assai) que trabalhará a comercialização da cadeira de artesanato regional, produzido pelas mulheres que lá residem, por meio de e-commerce, vendas onlines. “O intuito é principalmente promover a integração entre as artesãs e com isso ajudar a comunidade do Alto Rio Negro através da inovação para geração de renda de todos”, disse a vice-presidente da Assai, Cecília Albuquerque.

Outra entidade beneficiada é a Associação dos Promotores da Atividade de Meliponicultura do Estado do Amazonas, que tem um projeto de manejo e produção de mel envolvendo 40 criadores de Abelha-Sem-Ferrão em Itapiranga. “O recurso vai nos ajudar a comprar equipamentos que farão com que desenvolvemos melhor o projeto nas comunidades gerando assim renda para várias famílias sem agredir a natureza, ou seja, preservando o meio ambiente e as espécies”, disse o coordenador Antonilson Rodrigues.

Publicidade
Publicidade