Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
ABASTECIMENTO

Quilombolas de Barreirinha recebem mais de 3,5 toneladas de alimentos da Conab

Ao todo serão beneficiadas 504 pessoas de três comunidades de origem afro brasileira da cidade de Barreirinha, no Baixo Amazonas



WhatsApp_Image_2018-03-16_at_18.10.19.jpeg (Foto: Divulgação)
16/03/2018 às 19:00

Oitenta e quatro famílias quilombolas receberam hoje 168 cestas básicas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Ao todo serão beneficiadas 504 pessoas de três comunidades de origem afro brasileira da cidade de Barreirinha, no Baixo Amazonas. Coube a liderança quilombola Maria Amélia dos Santos Castro,57, receber do superintendente da Conab, Serafim José Taveira Junior, as cestas que serão enviadas amanhã (17/03) de barco para as comunidades de Boa Fé, Trindade e Santa Tereza do Matupiri. 

" A gente agradece por estes alimentos que vão ajudar na dieta das nossas famílias. Tem sido muito difícil manter as comunidades do interior, mas nós nunca desistimos da nossa luta como descendentes dos africanos, que vieram para o Amazonas fugindo da repressão", disse dona Maria Amélia, que na Federação das Organizações Quilombolas do Município de Barreirinha ( FOQMB) é conhecida como "Lourdes'.

Alimentos

Nas cestas básicas tem arroz, farinha,açúcar cristal, flocos de milho, leite em pó integral, macarrão, óleo de soja e feijão. Ao todo, as três comunidades quilombolas de Barreirinha receberam hoje 3.696 quilos de alimentos. Esta ação de distribuição de cestas básicas é promovida pelo Ministério do Desenvolvimento Social e tem a Fundação Palmares (principal instituição nacional dos direitos sociais dos quilombolas) como a indicadora do destino final dos víveres.

Em Barreirinha ainda há mais três comunidades quilombolas, são elas: São Pedro, Ituquara e São Paulo do Açu. As cestas básicas serão entregues na comunidade Santa Tereza do Matupiri, que fará a distribuição final dos alimentos.

África

Segundo a antropóloga Carly Anny Barros, que atende as comunidades quilombolas, de parte da Prefeitura Municipal de Barreirinha, as comunidades afro brasileiras do município são antigas na região, a maioria do século Dezenove (XIX). Como o caso da família de dona Maria Amélia, ela é bisneta de Benedito Rodrigues da Costa, de origem angolana; neta de Pedro Rodrigo da Costa; e filha de Benedito Pereira de Castro. Ela tem 5 irmãs e 3 irmãos e trata-se de uma liderança histórica do movimento quilombola amazonense. 

"As outras comunidades que ainda não recebem as cestas básicas, também tem direito e estamos trabalhando para que a Fundação Palmares às reconheça também", comentou Carly Anny Barros, que de formação também é jornalista graduada na Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.