Publicidade
Interior
AUXÍLIO

Unidades Veterinárias da Adaf no interior ganham reforço na frota de veículos

As unidades beneficiadas com os veículos são dos municípios de Manicoré, Apuí, Lábrea, Boca do Acre, Itacoatiara, Humaitá, Careiro, Presidente Figueiredo e Manaus. 20/04/2018 às 21:34
Show carros
Foto: Djalma Jr/Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

A frota de veículos, que vão servir para intensificar as ações da defesa agropecuária do Amazonas, ganhou reforço na tarde desta sexta-feira (20) com entrega de 6 caminhonetes, modelo S10, com tração 4x4. Outras quatro foram entregues na última segunda-feira (17).

Os novos veículos serão incorporados à frota que atende as Unidades Veterinária Locais (UVLs) de Manicoré (Matupi), Apuí, Lábrea, Boca do Acre, Itacoatiara, Humaitá, Careiro, Presidente Figueiredo, Manaus e a Central da ADAF na capital. A entrega ocorreu no estacionamento do Sistema Sepror, na Zona Sul de Manaus. 

As 10 caminhonetes foram adquiridas por meio de contrato de locação, no valor de R$ 499 mil e ficarão à disposição das UVLs pelo período de 12 meses.  Além disso, a aquisição de 32 voadeiras e 140 computadores também vai auxiliar o trabalho de sanidade animal no Estado ainda este ano.

O titular do Sistema Sepror (Sepa, Seapaf, Idam, ADS, Adaf) José Aparecido dos Santos e o diretor-presidente da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf), Sérgio Muniz entregaram as chaves aos representantes das unidades no interior. 

Para Sergio Muniz, os veículos irão fortalecer ações de defesa agropecuária no Amazonas. “Com isso estamos fortalecendo o serviço. Os  veículos vão facilitar o deslocamento dos  nossos técnicos às localidades de difícil acesso, reforçando a presença da Adaf no interior do Estado”, declara Muniz. 

Mais facilidade

Sérgio Muniz acrescenta que a frota vai tornar mais eficaz as atividades relacionadas ao cadastramento e georreferenciamento de propriedades rurais, assim como o deslocamento para realização de barreiras, fiscalização de eventos agropecuários, atendimento a suspeita de focos de doenças, vacinação assistida, vigilância de propriedades de risco e educação sanitária voltada para os produtores rurais.

Publicidade
Publicidade