Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
ANÁLISE E FISCALIZAÇÃO

Adequações urbanas foram atendidas na avenida Eduardo Ribeiro, diz Implurb

Órgão diz que foram corrigidas irregularidade como poluição visual, obstrução de logradouro público, despejo de águas servidas, avanço de espaço aéreo com estruturas de ferro, marquises, lonas e entre outros



02-05-16-_Obras_na_Av_Eduardo_Ribeiro-fotos_Alex_Pazuello__9_.jpg Fotos: Divulgação
20/12/2016 às 14:32

Para dar continuidade ao projeto de revitalização da avenida Eduardo Ribeiro, a Prefeitura de Manaus realizou, até novembro deste ano, 3.886 análises, orientações e ações de fiscalização na via. O trabalho é executado pela equipe de fiscais do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb).

As atividades intensificam e corrigem irregulares como poluição visual, obstrução de logradouro público, despejo de águas servidas, avanço de espaço aéreo com estruturas de ferro, marquises, lonas, compressores de ar condicionado na fachada, entre outros.

Das atividades realizadas em 122 unidades localizadas ao longo da avenida, hoje 104 estão totalmente adequadas ao que prevê o Plano Diretor e o Manual de Placas, o que representa 98,3% de sucesso nas orientações. Do total, 12 imóveis ainda estão em processo de regularização e apenas 6 unidades mostram resistência em corrigir distorções, sendo objeto de acompanhamento mais intenso da fiscalização da Gerência de Patrimônio Histórico (GPH).

Problemas mais graves foram identificados em prédios como o condomínio Bittencourt, que já recebeu 5 notificações, 9 multas e uma autorização para remoção de publicidade irregular na empena do edifício, o que não foi realizado até o momento. Na mesma localização há problemas com goteiras de ar condicionado no passeio público.

Só de produção fiscal de obras, publicidade e postura foram realizadas 1.604 ações, sendo 276 notificações e 153 autos de infração. A maioria das irregularidades diz respeito a publicidade em desconformidade para o Centro de Manaus, representando 37,68%, seguida de limpeza e manutenção de fachada, com 25,36% e de obstrução de passeio, com 10,87%.

Segundo a coordenadora de fiscalização da Gerência de Patrimônio Histórico, arquiteta Carolina Azevedo, é necessário que os imóveis com pendências regularizem a situação, o que colabora com a cidade, com os cidadãos e apoia a melhoria geral urbana na avenida Eduardo Ribeiro.

“Temos uma minoria que ainda não se adequou e que precisa entender a importância do bem comum. Arrumar as fachadas é como cuidar da sua casa, deixar ela mais bonita e atrativa até mesmo para o comércio”, falou Carolina.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.