Publicidade
Manaus
ALERTA

Após 10 dias, campanha vacinou apenas 5,14% do público-alvo da poliomielite no AM

A meta para a Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Sarampo é imunizar 95% das crianças de seis meses a menores de cinco anos. Menos da metade do público-alvo do sarampo foi alcançado 16/08/2018 às 07:03
Show vacina polio sarampo 8d33f599 7b7e 446e 8727 bb1a1fa68988
Foto: Euzivaldo Queiroz/Arquivo AC
Silane Souza Manaus (AM)

Depois de dez dias do início da Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Sarampo, apenas 5,14% do público-alvo da imunização contra a poliomielite e 42,6% da contra o sarampo foi vacinado no Amazonas. A meta é imunizar pelo menos 95% até o próximo dia 31. Os dados são da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). Para o diretor-presidente da instituição, Bernardino Albuquerque, a baixa cobertura vacinal é preocupante, especialmente em relação à segunda doença, que já tem 910 casos confirmados, 5.630 em investigação e duas mortes comprovadas no Estado. 

Bernadino Albuquerque ressaltou que a notificação de sarampo tem sido maior no Amazonas em função da situação vacinal da população, que se acomodou diante da falta de registro da doença e não procurou se imunizar – foram 18 anos sem casos. Quando o vírus foi reintroduzido na região, por imigrantes venezuelanos, encontrou muitas pessoas suscetíveis e se espalhou rapidamente, provocando o surto. A vacinação das crianças alvo da campanha, portanto, reforçou ele, é importante para diminuir a possibilidade de retorno da pólio e ocorrências do sarampo.

O diretor-presidente da FVS-AM disse que espera que a cobertura vacinal aumente com o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação Contra Sarampo e Poliomielite, que acontecerá neste sábado (18). O alvo são crianças de seis meses a menores de cinco anos. “Temos mobilizado os municípios para esta data e acreditamos que um índice significativo de imunização será alcançado”, afirmou, destacando que o monitoramento dos Ministérios Públicos Estadual (MP-AM) e Federal (MPF) também deve contribuir com a meta.

SAIBA MAIS: Veja 186 pontos onde se vacinar contra o sarampo e a poliomielite em Manaus​

“Sem dúvida é uma grande força até porque o alerta aos municípios do Estado não foi dado agora. Desde o início do ano temos falado sobre a doença e a importância da vacinação. A intensificação da imunização, inclusive, começou em abril. Mas não vimos resultados significativos. Conversamos e passamos para os Ministérios Públicos a listagem com a situação vacinal de cada município e eles estão tomando medidas sérias. Esperamos que, com isso, haja uma conscientização maior em relação ao problema”, comentou Bernardino Albuquerque.

No último dia 10, o MP-AM e o MPF emitiram recomendação ao Estado do Amazonas e ao Município de Manaus para promoverem ampla campanha de divulgação do surto de sarampo que atinge Manaus, alertando a população e líderes comunitários para os riscos da doença, a importância da vacina, a obrigação que os responsáveis têm de vacinar e para as penalidades que pode sofrer quem não vacinar suas crianças e adolescentes. Os MPs também recomendaram que os casos de omissão de pais e responsáveis quanto ao dever de imunizar, na capital e no interior,  sejam encaminhados ao Conselho Tutelar.

Dia D deve alavancar os índices

O Dia D da Campanha Nacional de Vacinação será realizado neste sábado e a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) faz um alerta aos pais e responsáveis para que levem as crianças aos postos de saúde para a vacinação. O sarampo, quando agravado, pode levar à morte. A poliomielite, ou paralisia infantil, deixa sequelas graves e também pode levar à morte.

Dados parciais da FVS- AM mostram que já foram vacinadas na campanha, até o momento, 15.286 crianças contra a poliomielite (5,14% do público-alvo). No caso do sarampo, foram imunizadas 129.893 crianças (42,6% do público-alvo).

O secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato, informou que todas as unidades de saúde da capital e do interior estão abastecidas com a vacina contra pólio e com a tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Ele ressaltou que as crianças devem comparecer às unidades com o cartão de vacinação, para que sejam feitas as atualizações necessárias.

Varredura porta a porta avança em bairros da ZL

Com a finalização das varreduras e intensificação vacinal nos bairros Jorge Teixeira, Zona Leste, e Cidade Nova, Zona Norte, considerados como prioridade número 1 do plano de combate ao sarampo em Manaus, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) inicia, a partir de hoje, fortalecimento das ações de oferta de vacinação nos bairros Cidade de Deus, Tancredo Neves, Gilberto Mestrinho, Coroado e São José, todos na Zona Leste.

As novas ações foram discutidas durante reunião com representantes da Sala de Situação de Vigilância em Saúde para o Monitoramento do Sarampo, na terça-feira, para analisar as informações sobre o atual cenário epidemiológico e definir estratégias de atuação para o combate à doença em Manaus.

“Com essa primeira etapa concluída, as intensificações vacinais estão sendo direcionadas para os bairros de Prioridade 2. Além disso, a Semsa continua intensificando o trabalho nas escolas municipais, reforçado com o apoio do Ministério Público e Conselho Tutelar, para que pais e responsáveis entendam a importância da autorização para vacinação dos estudantes”, afirmou Magaldi.

O Informativo Epidemiológico de Monitoramento dos Casos de Sarampo, divulgado semanalmente pela Semsa, mostra que as zonas Norte e Leste apresentam o maior número de casos notificados e confirmados da doença.

Obrigatório

A vacinação das crianças, nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias, é obrigatória. Os pais ou responsáveis podem pagar multa – de até 20 salários mínimos, cerca de R$ 19 mil – e até perderem a guarda dos filhos, além de serem responsabilizados por negligência, caso a criança venha a ser vitimada pela doença para a qual não tiver sido imunizada. As determinações e consequências estão previstas nos artigos 14 (parágrafo 1º) e 249 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Na última segunda-feira, os Ministérios Públicos Estadual (MP-AM) e Federal (MPF) informaram que acompanharão individualmente os casos de crianças que não forem vacinadas contra o sarampo e, em último caso, acionarão a Justiça contra pais ou responsáveis que insistirem em deixar os menores sem imunização. A decisão foi tomada após a avaliação sobre a dificuldade em alcançar a meta de vacinação em Manaus. A conclusão foi de que existem algumas barreiras enfrentadas na hora de vacinar crianças, principalmente em escolas.

Publicidade
Publicidade