Quarta-feira, 20 de Novembro de 2019
Manaus

Abaixo-assinado de vereadores pedirá a quebra de contrato com a Manaus Ambiental

As assinaturas devem ser enviadas junto com a ata da audiência, a partir de segunda-feira (8), quando iniciam os trabalhos legislativos da semana



1.jpg Várias adutoras tem estourado pela cidade
04/04/2013 às 17:54

Os vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM) deverão apresentar ao prefeito de Manaus, Arthur Neto, um abaixo-assinado em favor da quebra de contrato da concessionária Manaus Ambiental. A medida foi proposta pela vereadora Professora Jacqueline (PPS) durante audiência pública, nesta quinta-feira (4), que contou com a participação do diretor-presidente da empresa, Alexandre Bianchini.

Segundo Jacqueline, o abaixo-assinado será enviado junto com a ata da audiência, a partir de segunda-feira, quando iniciam os trabalhos legislativos da semana. “Ficou claro que a empresa Ambiental não tem plano de ação para resolver o problema no abastecimento de água na cidade. Aqui nos sentimos frustrados de não ter nenhuma resposta, por isso, apoiamos a ideia de quebra de contrato urgente com a concessionária”, disse Jacqueline.



A convocação para audiência pública do diretor-presidente da Manaus Ambiental foi requerida pela vereadora Jacqueline e pelo vereador Felipe Souza (PTN). Felipe ressaltou que as desculpas dadas pela Manaus Ambiental, de que o rompimento das adutoras foi causado por quedas de energia foi desmentido pela Eletrobrás, durante a audiência.  “Eles deram várias justificavas para os problemas, mas na prática ficou claro que não existem planos de solução. O poder público não pode ficar refém dessa concessionária”, disse.

Durante a audiência pública na Câmara, a vereadora também questionou a Manaus Ambiental pelas contas de alto consumo que vem sendo cobradas pela concessionária. “Tem conta de água no valor de R$  1 mil, de famílias simples e sem condições de pagar por nada. Isso é valor para se cobrar por empresas”, disse.

Mesmo diante da explicação do presidente Alexandre Bianchini de que, desde agosto do ano passado, a empresa não faz mais cobranças desse tipo, a vereadora afirmou que o problema continua ocorrendo. “O senhor tem certeza que isso já é colocado em prática, com essa facilidade toda? Eu acho que o senhor precisa fiscalizar mais”, questionou a vereadora.

Jacqueline ressaltou que Arhur  Neto é o primeiro prefeito a se preocupar em tão pouco tempo de gestão com o sistema de abastecimento de água. “Se em dois anos de atuação essa empresa não consegue cumprir o acordo, acredito que a prefeitura não precisa esperar até o fim de 2045 para quebrar esse contrato”, disse. 

*Com informações da assessoria


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.