Publicidade
Manaus
Manaus

Abertura da Campanha da Fraternidade tem retirada de lixo de igarapé em Manaus

O tema deste ano é “Casa Comum, Nossa Responsabilidade” e o lema “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”, com foco no saneamento básico 10/02/2016 às 11:59
Show 1
De acordo com a Arquidiocese de Manaus, a capital que tem aproximadamente 2 milhões de habitantes, 90% da cidade não tem saneamento básico
Agência Brasil ---

Com o gesto concreto de fazer a retirada de alguns lixos do igarapé do franco, nas proximidades da praça do Prosamim, bairro Santo Antônio, Zona Oeste de Manaus, fiéis da igreja católica de Manaus, realizaram na manhã desta quarta-feira de cinzas (10), a abertura oficial da Campanha da Fraternidade 2016.

A CF deste ano é organizada pelo CONIC (Conselho Nacional das Igrejas Cristãs) e terá como tema “Casa comum, nossa responsabilidade”, e o lema, “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5.24). Como destaque, a campanha vai focar na situação precária que se encontra o saneamento básico no Brasil.

De acordo com a Arquidiocese de Manaus, a capital que tem aproximadamente 2 milhões de habitantes, 90% da cidade não tem saneamento básico. “A cidade de Manaus não está sabendo cuidar da casa comum, estamos matando a natureza e cada vez mais gerando lixos e descartando ele de forma errada, com isso surgem várias doenças é preciso começarmos a cuidar do básico para podermos dar a continuidade da vida”, disse o arcebispo de Manaus, dom Sérgio Cartriani.

Durante a solenidade de abertura, dois potes com as águas do igarapé foram expostos para a comunidade que participou da solenidade. Nas preces dos fiéis e como pedido de perdão a Deus, foi reforçado a falta do compromisso do poder público, tanto com a questão do saneamento básico, as moradias de risco e a população pobre de Manaus.

Para o coordenador d de pastoral da Arquidiocese de Manaus, padre Geraldo Bandaham, os igarapés que banham toda a cidade de Manaus são as maiores vítimas, pois recebem todo tipo de poluição da capital. “Nossos igarapés não agüentam mais, eles recebem os lixos, resíduos sólidos, isso é uma simples amostra de como está o saneamento básico no Brasil, onde mais de 100 milhões de pessoas não tem acesso a esse serviço básico, se não acordamos agora para esta realidade, o problema será maior e mais preocupante”, disse.

Coordenada

A CFE 2016 irá romper fronteiras, pois contará com a parceria da Misereor – entidade episcopal da Igreja Católica na Alemanha que trabalha na cooperação para o desenvolvimento na Ásia, África e América Latina. É a primeira vez que Alemanha e Brasil realizarão juntos uma Campanha da Fraternidade Ecumênica.

 É ecumênica, pois qualquer igreja que se identifica com o tema da Campanha ‘Casa Comum, nossa responsabilidade’ pode participar. Todas as igrejas e também religiões são bem-vindas. A princípio participam a Igreja Católica Apostólica Romana, Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Episcopal Anglicana do Brasil, Presbiteriana Unida do Brasil, Sirian Ortodoxa de Antioquia.  


Publicidade
Publicidade