Publicidade
Manaus
SAÚDE PÚBLICA

'Abraço Amarelo' na ESA/UEA alerta nesta quinta-feira (27) para casos de suicídio

A capital do Amazonas é uma das cidades com altos índices de suicídio no País e o ato é um dos eventos realizados pela Liga Acadêmica de Psiquiatria do Amazonas 27/09/2018 às 16:34
Show esa 3bc325d8 ff40 4136 97fc f1bf7fe0e724
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

“Somos ainda uma cultura que chora no banheiro e quando está triste se esconde. Queremos que agora seja diferente. É hora de esticar a mão e oferecer comunicação de qualidade como prevenção aos casos de suicídio”. O alerta é do médico psiquiatra Domingos Timóteo de Jesus Ferreira feito durante o ato "Abraço Amarelo" realizado nesta quinta-feira (27), na Escola Superior de Ciências da Saúde da Universidade do Estado do Amazonas (ESA/UEA), localizada na Av. Carvalho Leal, 1777, Cachoeirinha, Zona Sul de Manaus. 

De acordo com dados do Ministério da Saúde, a capital do Amazonas é uma das cidades com altos índices de suicídio no País e o ato é um dos eventos realizados pela Liga Acadêmica de Psiquiatria do Amazonas como forma de prevenção e alerta. A presidente da Liga e aluna do 5º período de medicina da UEA, Rafaela Cruz de Oliveira, acredita que iniciar essa campanha é o primeiro passo. “O nosso curso é muito puxado, muitos alunos não tem vida social. E, por meio da nossa iniciativa, muitas pessoas costumam nos procurar. Ouvimos, indicamos bons profissionais e orientamos aos locais com atendimento psicológico gratuito”, explicou.

Ferreira, que também é professor auxiliar da disciplina de Psiquiatria da ESA/UEA, lembrou ainda que é registrado um caso de suicídio a cada 40 segundos no mundo. “No âmbito acadêmico muitos até desistem do curso, tendo uma qualidade ruim de vida e cometendo o ato contra a sua vida. A proposta com esse ato é chamar atenção para a comunidade acadêmica”, destacou.

O diretor da ESA, Diego Regalado, enfatizou que é o assunto é uma preocupação de saúde coletiva e, principalmente, para os cursos de longa duração como os da área da saúde. “Temos que estar cada vez mais atentos aos jovens que entram e saem da nossa escola, pois eles passam muito tempo dentro da universidade e isso muitas vezes causa transtornos. Temos que ter sensibilidade para ajudar quem precisa”, observou.

Como ajudar?

O professor ressaltou que uma das maneiras efetivas de prevenção são os números de ajuda, como o 188 oferecido pelo Centro de Valorização da Vida (CVV). “Porque uma ligação ajuda? Porque ela tem comunicação de qualidade, com interesse, respeito. Lá temos pessoas comuns e treinadas para ouvir. Às vezes essas pessoas querem ser ouvidos e não são. A primeira coisa é ver o outro, ser empático porque ninguém está eximido desse papel de ajudar a sociedade”, ponderou.

O Setembro Amarelo é uma campanha brasileira de prevenção ao suicídio, iniciada em 2015. É uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) que a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) também apoia.

Publicidade
Publicidade